Granero confirma que OAS paga para guardar bens de Lula

 

Reproduzimos nota à Imprensa divulgada pela Granero Transportes

 

“Em dezembro de 2010, a unidade franqueada da Granero Três Poderes – foi vencedora da concorrência pública n. 111/2010 para o serviço de transporte de parte da mudança do ex-presidente Lula, no percurso Brasília – São Paulo, pelo valor de R$ 22.722,00, envolvendo quatro caminhões.

No dia 06.01.11, os itens de vestuário do ex-presidente Lula foram entregues na Avenida Prestes Maia, 1501, apto. 100, em São Bernardo do Campo/SP.

Em relação à adega e ao acervo audiovisual, foi assinado contrato com o Instituto Lula, no valor mensal de R$ 4.726,21, para que ficassem armazenados na Granero.

No dia 13.06.12, a adega do ex-presidente foi entregue em um sítio localizado na região de Atibaia/SP.

O acervo audiovisual permanece armazenado com a Granero.

Em janeiro de 2011, o acervo museológico do ex-presidente, correspondente a dez contêineres, foi entregue por outra transportadora à Granero para armazenagem.

O Sr. Paulo Okamotto informou que a armazenagem do acervo museológico seria feita por um curto período de tempo e contratada pela apoiadora do Instituto Lula, a empresa OAS.

Para isso, foi firmado contrato com a OAS, no valor de R$ 21.536,84 mensais, que perdurou por cinco anos.

Nos dias 18 e 19.01.16, o acervo museológico do ex-presidente foi retirado do armazém da Granero por transportadora contratada pelo Sr. Paulo Okamotto.

A Granero, há quase 50 anos, atua em todo o Brasil, de forma ética e transparente, atendendo cerca de 20 mil famílias por ano. Além disso, a empresa tem colaborado com a Justiça, prestando todos os esclarecimentos necessários às autoridades.

Att,

Roberto Granero – Presidente