A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que apura possíveis irregularidades ocorridas no interior do aeroporto internacional de Guarulhos recebeu, na manhã desta terça-feira, 13, representantes do GRU Airport para tratar de questões relativas ao Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), documento que certifica que uma edificação possui condições adequadas de segurança contra incêndio. O procedimento é obrigatório para lugares em que haja grande circulação de pessoas, devendo passar por renovações periódicas.

De acordo com Rodrigo Cardoso de Jesus, gerente de planejamento e projetos do GRU Airport, a certificação está pendente no terminal 2, que está em obras, com conclusão prevista para 2019. Cardoso afirmou ainda que, entre 1985 e 2012, período em que a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) administrava o local, nenhum auto de vistoria foi emitido.

Apesar de Cardoso garantir que a empresa responsável pela gestão do aeroporto tem uma ampla central de combate a incêndios, os vereadores que compõem a CEI demonstraram preocupação com o fato de as atividades do terminal 2 continuarem em andamento, mesmo sem o documento. “Nós solicitamos que a GRU nos informe, por escrito, a possibilidade de um prazo para a realização de um termo de ajustamento de conduta, uma vez que ela reconhece que não tem o AVCB, mas que está em vias de conquistá-lo. Nós queremos a segurança de que isso vai ocorrer dentro de um prazo que seja interessante para todos os envolvidos”, explicou o presidente da comissão, Marcelo Haddad Seminaldo (PT), que espera receber um posicionamento do GRU Airport até o dia 21 de novembro, quarta-feira.