Guaidó diz que busca apoio no País para restabelecer a democracia na Venezuela

O presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, após encontro com embaixadores de países da União Europeia, na sede da delegação da União Europeia no Brasil - Marcelo Camargo/ABr

Em Brasília desde a madrugada desta quinta, 28, o deputado Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino da Venezuela, disse que busca apoio para o restabelecimento da democracia venezuelana e seu retorno ao país. Guaidó, que será recebido no início da tarde pelo presidente Jair Bolsonaro, esteve na representação da União Europeia, com embaixadores de nações que consideram sua interinidade como legítima.

De acordo com aliados, Guaidó conta com apoio de 52 países, incluindo Brasil e Estados Unidos. “Viemos realizar importantes reuniões de trabalho para construir as condições e a cooperação internacional em nosso caminho para a liberdade”, escreveu Guidó em sua conta no Twitter.

O presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, após encontro com embaixadores de países da União Europeia, na sede da delegação da União Europeia no Brasil.
O presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, após encontro com embaixadores de países da União Europeia, na sede da delegação da União Europeia no Brasil. – Marcelo Camargo/Agência Brasil
Guaidó estava na Colômbia, onde liderou a tentativa de entrega de ajuda humanitária aos venezuelanos, recusada por Nicolás Maduro. A Suprema Corte da Venezuela proibiu Gauidó de deixar o país, e ele corre o risco de ser preso ao retornar.

O venezuelano deve ficar em Brasília até amanhã para uma série de reuniões. Ele deve se encontrar com o presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).

*Com informações da Agência Brasil