Guarulhos adere à campanha Cidades #ComOsRefugiados

Prefeito Guti assina termo de adesão à campanha de direitos humanos - Foto: Fabio Nunes Teixeira/PMG

Durante o 1º Fórum de Diretos Humanos, realizado no dia 11, no Adamastor Centro, o prefeito Guti assinou o termo de adesão da cidade de Guarulhos com o Alto Comissariado das Nações Unidas (ACNUR) referente à campanha Cidades #ComOsRefugiados. O programa convida autoridades locais do mundo todo a participarem da iniciativa, que pretende amplificar os esforços dos municípios a fim de que sejam criados ambientes inclusivos, onde todos possam viver em segurança, além de estimular a participação e contribuição junto as comunidades que os acolheram.

O subsecretário da Subsecretaria da Igualdade Racial, Anderson da Silva Guimarães, destaca que o grande objetivo, a partir da assinatura, é o de fortalecer a rede de atenção aos imigrantes nos próximos anos (2019/2020). “Precisamos trabalhar com a formação dos agentes públicos municipais sobre as temáticas de migração, refúgio e tráfico de pessoas; criação do comitê municipal de políticas aos migrantes; presença ativa de exposições e reflexões sobre a migração em equipamentos públicos”, finaliza.

Campanha

A campanha #ComOsRefugiados vai mostrar a solidariedade que muitas cidades ao redor do mundo possuem com aos refugiados. A declaração cidades #ComOsRefugiados foi lançada no Dia Mundial dos Refugiados, em 20 de junho, com 60 adesões. Municípios podem assinar a petição, como fez Guarulhos, assumindo a responsabilidade de prover o acolhimento humanitário, acesso aos serviços básicos e a garantia plena dos direitos idêntica àquela dada aos nacionais, além de propor ações afirmativas e inclusivas a esta população.

“Guarulhos, assim como todo o Brasil, sofre com problemas estruturais e econômicos, mas é, acima de tudo, um país que acolhe”, disse o prefeito durante o evento, no qual enfatizou os esforços para implantar as políticas públicas necessárias para garantir dignidade e qualidade de vida às pessoas.

Crise humanitária

Atualmente acontece a maior crise humanitária, com mais de 68 milhões de pessoas descoladas forçadamente no mundo. Segundo dados das autoridades nacionais de imigração e outras fontes, o número de refugiados e migrantes da Venezuela, por exemplo, em todo o mundo atingiu 3 milhões, sendo que 2,4 milhões se encontram na América Latina e no Caribe. E Guarulhos, a maior fronteira aérea do país tem recebido e acolhido um número expressivo de refugiados de diversos países, inclusive da Venezuela, por meio da rede local.