Haddad libera aplicativos de transporte individual como o Uber  

Na manhã desta terça-feira, 10, o prefeito Fernando Haddad assinou decreto que regulamenta aplicativos de transporte individual, como o Uber, na capital paulista. Polêmica, a decisão foi tomada depois de sucessivas derrotas no Legislativo. O decreto dever ser publicado nesta quarta-feira, 11.

A Prefeitura propõe à venda de créditos para empresas que queiram explorar este mercado, sendo que a cobrança será feita por quilômetro rodado, o que representaria, segundo a Prefeitura, uma taxa pelo uso viário das vias da cidade. Diferentemente dos táxis, os carros da Uber, por exemplo, rodam sem pagar nenhuma tarifa.

Serão 5 mil alvarás da categoria táxi preto e os motoristas receberão boletos para pagar pela viagem realizada em até dois dias úteis. A Prefeitura não vai intervir na tarifa cobrada dos usuários sob a alegação que neste quesito valem as regras de livre mercado. As empresas de tecnologia interessadas em prestar o novo serviço poderão se cadastrar a partir da publicação do decreto.

“Vamos controlar a quantidade e o preço de maneira tal que os trabalhadores tenham seus direitos assegurados, os taxistas, e que as empresas possam operar diversificando serviços para atrair novos públicos”, enfatizou Haddad.

Segundo o governo Haddad, o valor arrecadado será aplicado exclusivamente em investimentos no viário urbano. As novas empresas continuarão proibidas de usar os corredores e as faixas de ônibus; os taxistas têm este direito por serem classificados como meio de transporte público.