Por Elmi El Hage Omar

História Próxima’ (derivação por metáfora, característica do que é familiar, íntimo) visa achegar o indivíduo de eventos ocorridos ‘perto’ (próximos a ele) durante o tempo passado, de modo que preserve e divulgue o legado cultural, as ‘soluções e ou fracassos’, que a sociedade e determinados humanos realizaram naquele espaço e tempo específico. De maneira alguma enaltecendo determinado povo, mas reconhecendo que o indivíduo precisa ter um sentimento de pertencimento.

A pretensão desse tipo de conhecimento é conduzir a liberdade, com a sua expansão, integrar conhecimentos de diversos locais, evidenciando a diversidade, sem impedir a integração.

A aplicação do conceito de história próxima passou pelo Movimento Guarulhos Tem História com atividades iniciadas em abril de 2005. Neste momento foram feitas listagem e leituras de publicações sobre a História de Guarulhos, em seguida houve debates com estudiosos que pesquisaram sobre a localidade. O trabalho do Guarulhos Tem História influenciou em algumas iniciativas do governo municipal como a requalificação do centro histórico e o projeto do parque de preservação da memória da cultura negra, sítio da Candinha.

Rochas alinhadas, detectadas durante a abertura da vala na Rua Dom Pedro II com a Praça Conselheiro Crispiniano. Acervo: AAPAH/Elmi Omar, 2008.

Em 2005, estudiosos de diversas linhas acadêmicas se reúnem para fundar a AAPAH – Associação Amigos do Patrimônio e Arquivo Histórico uma ONG que busca trazer a aproximação da sociedade com os bens materiais e imateriais, para assim, evitar a depredação, a má conservação e o esquecimento de costumes que caracterizam a identidade de uma comunidade.

Os futuros projetos incluem a reflexão sobre os imigrantes que contribuíram com a formação do povo de Guarulhos, exposições, feiras culturais e seminários.

A AAPAH realizou um convênio com o ministério da cultura, recebendo a nomeação de Ponto de Cultura, que permitiu realizar trabalhos de digitalização, conservação de acervos, cursos, pesquisas e caminhadas, em parceria com o Arquivo Histórico de Guarulhos.

Todas essas atividades contemplam uma história que se constrói do menor para o maior, do micro para o macro; objetivando produzir uma política de Estado e apartidária.

*Pós-graduado em história, Cofundador da AAPAH, membro da Academia Guarulhense de Letras, presidente do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico de Guarulhos, autor de vários livros sobre a História de Guarulhos.