Homens entre 30 e 40 anos são mais propensos a ter insuficiência cardíaca

Quem sofre de doenças cardíacas deve seguir à risca as recomendações médicas para não desenvolver outros problemas no coração, como a insuficiência cardíaca – doença que mata 50 mil pessoas por ano no país, segundo estudo da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

A insuficiência cardíaca é caracterizada pela incapacidade do coração de bombear sangue rico em oxigênio em quantidade suficiente para o organismo. “Um coração saudável bombeia em média 3,5 litros de sangue por minuto, enquanto no órgão doente os níveis do fluxo sanguíneo variam de 2 litros a 2,5 litros por minuto”, diz Paulo Chaccur, cardiologista do Hospital São Luiz Morumbi.

Cansaço progressivo, falta de ar, dificuldade para subir escadas e praticar atividades físicas, inchaço nos pés, abdômen e tornozelo, palpitações no coração e arritmias são os sinais mais comuns da doença. “Os sintomas da insuficiência cardíaca são praticamente os mesmos de outras doenças cardíacas. Por isso é muito importante realizar uma avaliação médica periódica, especialmente homens entre 30 e 40 anos de idade, considerados os mais propensos a desenvolver a doença”, explica o cardiologista.

Hábitos de vida não saudáveis (tabagismo, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e sedentarismo), diabetes, hipertensão e colesterol alto podem desencadear ou contribuir para um quadro de insuficiência cardíaca. “Outro fator de risco que merece atenção são as cardiopatias. Pacientes que já apresentam doenças cardíacas, como obstrução nas artérias coronárias e arritmia, tem mais chance de ter a doença”, diz Paulo Chaccur.

O tratamento é determinado de acordo com o quadro e histórico de saúde de cada paciente, mas geralmente é realizado via medicamento. Mudança de hábitos também fazem parte desse processo e são essenciais para que a doença não evolua.

O cardiologista Paulo Chaccur dá algumas dicas para quem apresenta quadro de insuficiência cardíaca:

– Reduza o consumo de sal; 

– A ingestão de líquido não deve ser superior a 800 mililitros por dia.  O líquido absorvido pelo organismo passa diretamente para a circulação, aumentando, consequentemente, a sobrecarga do coração. O médico alerta que a recomendação é apenas para cardiopatas com insuficiência cardíaca e reforça, ainda, a importância do acompanhamento médico.

– Caminhe em locais planos por 30 minutos de três a quatro vezes por semana. Praticar este tipo de exercício melhora a circulação sanguínea, permitindo que o coração bombeie o sangue com mais facilidade.