La Casa de Papel é um seriado que nos apresenta pessoas

Frenético. Pense como seria estar presente num roubo à Casa da Moeda da Espanha. La Casa de Papel mostra exatamente isso. Só que dando a oportunidade do telespectador acompanhar o comportamento de ambos os lados: os ladrões e o departamento responsável pela negociação com os sequestradores.

Oito pessoas com características distintas e habilidades especiais são selecionadas para executarem um crime perfeito: um assalto à Casa da Moeda da Espanha sem sangue, mortes ou falhas. O líder, denominado como Professor, passa cinco meses ensaiando o plano de criar o maior assalto de todos os tempos, mostrando cada movimento que a polícia poderia fazer e sua respectiva resposta. Os criminosos não podem conhecer profundamente um ao outro – nem mesmo o nome: todo o relacionamento teria de ser profissional.

Ao entrar na Casa da Moeda, um grupo de 60 pessoas, incluindo adolescentes que estavam em excursão pela escola, é feito refém. Todos também previamente estudados pelo Professor. Tudo extremamente pensado, como num minucioso jogo de xadrez.
Em cada episódio, o telespectador pode acompanhar, digerindo detalhes do passado e do presente, tendo a oportunidade de chegar a conclusões, descobrir os próximos passos ou simplesmente torcer a favor – ou contra – de um crime. A narrativa, no entanto, é rápida e não deixa os episódios monótonos; pelo contrário, faz você ficar ansioso para saber a próxima grande reviravolta – uma por episódio, acredite.

Ao longo dos capítulos, o produtor teve a sensibilidade de apresentar aos telespectadores seres humanos, pessoas que têm ataques de ansiedade quando estão confinadas em um banco ou quando dão uma ordem para atirar em um refém achando que ele era um criminoso. Personagens são incomuns em suas habilidades, mas normais em suas personalidades, com qualidades, defeitos, sentimentos e problemas pessoais.

O crime foi planejado com esmero, tendo todas as chances para que o maior roubo da história da humanidade fosse consumado. Porém, tudo o que é perfeito pode se tornar cheio de erros justamente porque os personagens não são apenas criminosos extraordinários, com um extenso currículo de proezas, cuidadosamente escolhidos por um mentor que analisou cada detalhe de seu plano e cada característica do grupo. Trata-se de gente como a gente. E isso é que torna La Casa de Papel um seriado cativante. Ao longo dos capítulos, é possível entender as motivações de cada um dos personagens apresentados, impulsos que muitas das vezes podem ter ligações com quem assiste.

Sabe o que deixa a série ainda mais interessante? O plano esquematizado pelo Professor não conquistou apenas o público que acompanha os capítulos, mas também a opinião pública da Espanha em que se passa a trama. Afinal, o audacioso plano arquitetado não só trata de um roubo de 2,4 bilhões de euros, mas de um protesto; afinal, o dinheiro não pertence a ninguém. Não entende? Assista.

Sinceramente, pela primeira vez, torci para que um assalto fosse concluído com sucesso. Portanto, fica a dica: não assista a La casa de Papel com o intuito de ver um único episódio. É impossível.

A primeira temporada está disponível na Netflix e conta com 13 episódios. A segunda já tem data marcada: 6 de abril.