Leitura em dia

A Revista Weekend separou alguns lançamentos deste segundo semestre para você aproveitar as férias e colocar a sua leitura em dia. Confira:

#POLICIAL
O Casamento

Com maestria, Victor Bonini transmite ao leitor suspense, assassinatos e uma boa investigação. Em sua recém-lançada obra, o autor cria um cenário assombroso em um dia que deveria ser de alegria. O investigador Conrado Bertelli, personagem também presente no primeiro livro de Bonini, “Colega de Quarto”, investiga um homicídio no casamento da filha de um amigo. A narrativa leve faz com que o leitor fique preso no mistério até as últimas páginas do livro, numa trama onde a culpa cai sobre todos. A obra tem 368 páginas e foi lançada pela Faro Editorial.

#PORTUGUÊS
Muitas línguas, uma língua: a trajetória do português brasileiro

O imortal da Academia de Letras Domicio Proença Filho convida o leitor a embarcar numa viagem para conhecer as origens, os processos e a história da língua falada no Brasil no livro “Muitas línguas, uma língua: a trajetória do português brasileiro”. A obra com 672 páginas é resultado de 15 anos de pesquisa e escrita. Lançada pela Jose Olympio, o livro é obrigatório para os estudantes de Letras e todo àquele que é amante da nossa língua mãe.

#AUTOAJUDA
O sofrimento é opcional

Em “O sofrimento é opcional”, uma das principais líderes espirituais do País discorre sobre como o budismo enxerga a depressão, abordando os princípios da religião para ajudar a prevenir ou até mesmo vencer uma das doenças que cada vez mais afeta a população mundial. No livro, Monja Coen relata como superou essa dificuldade e uma tentativa de suicídio. A obra foi lançada pela Bella Editora. Em dezembro, a Revista Guarulhos traz um perfil especial com a autora.

#FATOSREAIS
Prisioneiras

Poucos sabem que o médico Drauzio Varella faz, desde 1989, trabalhos voluntários desenvolvidos em penitenciárias. A história de presos e funcionários da extinta Casa de Detenção de São Paulo, o Carandiru, rendeu as obras “Estação Carandiru” (1999) e “Carcereiros” (2014). Em 2017, Drauzio encerra sua trilogia sobre o sistema carcerário brasileiro com “Prisioneiras”. Alçando as mulheres encarceradas a protagonistas, o médico rememora os últimos onze anos de atendimento na Penitenciária Feminina da Capital, que abriga mais de duas mil mulheres. Um relato sem julgamentos morais, que não perde o senso crítico em relação às mazelas da sociedade brasileira. O livro foi lançado pela Companhia das Letras.