Mãe de Serginho vai buscá-lo em Jarinu

Sonia Maria, mãe de Sergio Henrique, que tem 31 anos e tem Síndrome de Down, está indo com uma amiga à cidade de Jarinu, entre Atibaia e Itatiba, onde ele foi acolhido em um sítio mantido pela Missão Belém, movimento ligado à igreja Católica.

Serginho, como é conhecido na comunidade da Paróquia Santa Mena, estava desaparecido desde o dia 26 de fevereiro, conforme noticiado na ocasião pelo Click Guarulhos. A família, os vizinhos e amigos buscaram divulgar por todos os meios possíveis e nunca haviam perdido a esperança de encontrá-lo.

Segundo Sonia contou por telefone à reportagem do Click Guarulhos, ela vinha tendo problemas de pressão diariamente e sequer conseguia dormir, pois, mesmo tendo 31 anos, Serginho “é um bebezão”, nas palavras dela. Nesta sexta-feira, as vizinhas Ana e Priscila, mãe e filha, receberam contato da Missão Belém, com foto de um rapaz encontrado com características parecidas com as de Serginho. Pela foto enviada pelo WhatsApp, elas o reconheceram.

Ainda não se sabe como, Serginho havia ido parar no bairro paulistano de São Mateus, zona Leste. Lá, foi resgatado das ruas, junto com outras pessoas e levado para um abrigo da Missão Belém, vindo depois a ser transferido para o sítio em Jarinu.

Sonia acredita que o fato de ele ter desaparecido se deu por ter deixado de tomar o medicamento Levozini, que estava em falta naqueles dias, pois isso nunca tinha acontecido antes. Ela conta que o filho faz acompanhamento no Cemeg Guarulhos, com o médico Maeda, e até há uma consulta marcada com ele para maio.

Sonia pediu que o Click divulgasse o agradecimento dela a todos que de alguma forma colaboraram para divulgar o desaparecimento de Serginho, em especial aos mais próximos, que a ampararam em todo esse tempo de desespero pelo qual passou. “Chorei muito de emoção quando dona Ana e a Priscila me contaram que tinham achado ele. Lá no sítio foi gravado um áudio com uma mensagem dele pra mim, dizendo que me ama. Estou indo para Jarinu para reencontrá-lo e com muita vontade de trazê-lo de volta pra casa. Agradeço muito às pessoas que nem conheço, mas que ampararam ele e cuidaram bem dele. Muito obrigado a todos, que Deus lhes recompense pela atenção”, relatou.