Malvina Russo, a resiliência em pessoa

Motivos não faltariam para que Malvina Russo vivesse se lamentando. Desde a infância, teve de superar inúmeros obstáculos. Mas sua filosofia de vida é sempre pensar positivo.Seu pai abandonou a família quando ela tinha sete anos; aos oito, ela já trabalhava, em casa de família como empregada e babá, foi criada pelas famílias onde trabalhou até seus 16 anos, e foi babá de três meninas, que hoje a consideram como parte integrante de suas famílias. Malvina foi correr atrás de realizar o sonho de ser recepcionista, o que só foi possível aos 16 anos. Na avenida Guarulhos, havia a loja de veículos Somacar. Foi fazer teste para uma vaga, mas quase foi reprovada na datilografia.

Pediram que ela fizesse uma redação a mão. “Escrevi uma carta a minha mâe, pedindo perdão por não conseguir ajudá-la como gostaria, e se eu não conseguisse o emprego não queria mais viver, por isso o perdão. O diretor Odair Villano e a Elizabeth do RH leram a redação que salvou minha vida, pois me deram conselhos, falaram com o Dr. Arnaldo Nassif e fui contratada para servir café. Porém, eu aprendi de tudo um pouco: telefonia, administrativo, enfim me tornei um curinga, cheia de boa vontade e sempre com um sorriso no rosto e uma alegria vinda de Deus. De repente, estava vendendo carros para os clientes”, relata.

Depois de dois anos na empresa, foi para um escritório no Centro de Guarulhos e de lá para a caderneta de poupança Finadisa, onde fez uma carteira de clientes, o que a levou à gerencia . Gerenciou agências bancárias em Guarulhos e na Penha e Tatuapé. Casou-se em 1981 com Carmine Russo Neto e teve 2 filhos Diogo e Denise. Malvina sempre sustentou sua mãe e irmãos. Por isso, mesmo casada, não podia parar de trabalhar até porque nunca quis ser sustentada por ninguém a não ser por seu próprio trabalho. Quando as crianças eram bebês, Malvina deu uma parada na carreira, mas viu que não era justo Neto arcar com tudo; resolveu voltar para o mercado de trabalho. Entrou como vendedora na Fiat Sultan, que foi vendida para a Breda, do grupo da Gol. Então a nova diretoria ficou sabendo da fama dessa mulher de fibra e comprometida e a convidaram para assumir a gerência de vendas. Depois, atuou como diretora comercial na Dísia, concessionária Asia Motors e também trouxe a bandeira Peugeot de volta para Guarulhos no cargo de diretora comercial da Progrèss. Ficou até precisar ser operada com urgência. Depois da cirurgia, ficou mais três meses, mas decidiu que não trabalharia mais no ramo, porque raramente se descansa nos fins de semana.

Participou de outras empreitadas: Foi uma das sócias fundadoras e presidiu o Lions Clube Guarulhos Aeroporto; foi executiva de contas no Open Hall e consultora comercial, formando equipe de vendas na Tony Móveis para Escritório e na Sonolayer Centro de Diagnóstico. Mas, teve de fazer tratamento de câncer, ao mesmo tempo em que a doença da mãe agravou-se. Aprendeu a dar valor à dor e resolveu abraçar a causa da Caminhada de Prevenção ao Câncer de Mama, que coordenou; o evento chegou a ter 12.500 participantes, o que ela lembra com muito orgulho.

Em 2005, aceitou o desafio de ter um programa na televisão. Então, montou sua própria produtora, a MRusso Produções. Foi onde mais se encontrou, pois gosta do contato com as pessoas e principalmente de Guarulhos. Adora mostrar a cidade, seus melhores lugares e as pessoas. “Meu ponto fraco é o ser humano. Amo cuidar e ser cuidada, cultivar e ser cultivada. Curto o respeito aos mais velhos, a boa música, o romantismo e acredito no amor e respeito como solução para tudo na vida”. Atualmente, apresenta o programa de variedades “Aqui Tem” e o “Bate-papo com Malvina Russo”, na TV Nova Destaque, canal 15 da Net.