Meditação e respiração: caminhos para a felicidade e conexão com a realidade

Por Val Oliveira

Ser feliz depende muito mais de estar bem resolvido interiormente do que externamente, uma vez que a felicidade é um estado e não uma condição. Quando coração e mente trabalham em sintonia, com sensibilidade e de maneira descomplicada, é possível encarar os problemas com suavidade, por mais “cabeludos” que eles sejam. Dificuldades sempre existiram e vão continuar existindo. O que fará a diferença é o modo com a qual elas são encaradas.

Ao começar um novo ano, as esperanças se renovam. É hora de fazer a “roda da vida” girar, recomeçar, retomar velhos projetos e estipular novas metas. Contudo, há pensamentos, sentimentos e comportamentos que “insistem” em não ficar no passado, causando insegurança e impedindo que se enxergue novas possibilidades, que se corra atrás de sonhos pessoais e profissionais.

Como está o seu lado emocional ou psicológico? Você é daquelas pessoas que “chutam o pau da barraca” quando as coisas não estão do seu agrado ou não acontecem conforme suas expectativas? Enfrentar as “intempéries” da vida com serenidade e sabedoria requer maturidade e autocontrole. Nesse contexto, técnicas de meditação e respiração podem ser fundamentais para a recuperação do controle, ter paz interior, bem como permitir-se ver a vida sob um novo prisma.

Nas próximas páginas “mergulhamos” no universo da meditação e respiração, que é cheio de energias positivas, promove o bem-estar e ganha cada vez mais adeptos.

Meditação e felicidade

A psicoterapeuta e professora de Ioga Helena Gomes diz que a meditação é uma técnica para alcançar um estado ampliado de consciência. “É a arte de estar no presente e ter um encontro consigo mesmo.”

Para a especialista, a felicidade está dentro de cada pessoa e a meditação é um meio de encontrá-la, pois as técnicas trabalham para que o indivíduo veja, sinta e vivencie essa felicidade. “A felicidade é um estado natural que já existe dentro de nós. Não é uma condição ou uma exigência de que algo bom esteja acontecendo para ela se manifestar. As coisas boas que acontecem fora de nós também tocam esse “espaço de felicidade”, que já existe dentro de nós. A felicidade está soterrada sob os pensamentos excessivos e repetitivos.

Nossos problemas são como uma cortina que cobre a felicidade. […] A meditação ensina a não se identificar com a cortina, […] e abre espaço para pensamentos e padrões que ajudam a reconhecer a sua própria essência, missão e propósitos mais íntegros. Eles estão lá, porém, só estão soterrados, mas a prática constante faz você entrar em contato”, detalha.
Marcelo Gutierrez, comunicólogo e terapeuta, especialista em Reiki, Mindfulness, Meditação Crystal Bowls, entre outras ferramentas meditativas, explica que a meditação é um processo de autoconhecimento e cura, que colabora para o equilíbrio físico, mental e espiritual, pois trabalha a manutenção da essência, concentração, consciência plena, autodisciplina e a qualidade de vida cotidiana. “A meditação faz as pessoas serem mais felizes, pois elas vão se conhecer melhor e agir com mais informações, com mudança de postura e adaptações, cientes do quem são e sem se autocriticar ou culpar. […] Ela oferece entendimento e a prevenção de doenças geradas por modelos que a sociedade inseriu e que nossa mente aceitou e ‘comprou’”, afirma.

Benefícios

Segundo Helena, além de permitir conhecer a realidade interna para trazê-la à vida externa, outro benefício da meditação é o aumento da energia e da força do corpo. “A disposição e energia aumentam a partir do equilíbrio hormonal. Há calmaria dos pensamentos e emoções, cura de desordens energéticas, alinhamento dos chakras (centros que captam e distribuem energia no corpo), e (a meditação) te deixa num estado de relaxamento consciente, feliz e em conexão com a vida. […] Podemos ser mestres da nossa mente e não escravos dela”, explica.
“Ajuda a ver a vida em formato mais agradável, promove o relaxamento, expande o campo de equilíbrio, concentração e controle interno, amplia o poder de observação e busca por soluções, melhora o entendimento interno e social, trabalha a respiração e a gestão do foco, alivia o estresse, ajuda contra ansiedade e depressão, estimula a criatividade, serenidade, entre muitos outros”, enumera Marcelo.

Prática regular e resultados

Para que os “exercícios” de meditação surtam efeito, é necessário que sejam praticados diariamente ou de acordo com orientação do terapeuta. “Todos nós podemos abrir um espaço em nosso dia para nos visitar, autoconhecer, liberar espaço entre os pensamentos que falam do passado e do futuro e ficar em nossa companhia no aqui e agora, livre de expectativas”, diz Helena.
“Assim como temos tempo para cuidar do carro, empresa, filhos e da casa, temos que cuidar da saúde mental. É necessário um começo e, aos poucos, a prática fará parte do cotidiano”, pensa Marcelo, completando que, em muitos casos, com terapia guiada, praticar uma vez por semana é o suficiente para a manutenção”, pensa Marcelo.

Tipos de meditação

Segundo os profissionais, não existe uma lista única que catalogue os tipos de meditações existentes, contudo, as diversas técnicas podem ser separadas em dois grandes grupos, segundo os seus benefícios. E a escolha deve contemplar a técnica que faz mais sentido para sua vida:
1. A meditação para o bem-estar que promove o relaxamento, fortalecimento da energia interna, para desenvolver compaixão, amor, paciência, generosidade e perdão;
2. A meditação como prática para se alcançar o estado de iluminação e bem-aventurança permanente, livre de toda forma de sofrimento.
Contudo, existem algumas técnicas bem populares, entre as quais destacamos: Mindfulnness; Vipassana; Ioga; Zazen; Kinhin; Meditação transcendental; cantar (mantras); Tai Chi, entre outras.

Respiração

Qual é o papel da respiração no processo de meditação? De acordo com os especialistas, a respiração é a ferramenta mais poderosa para trazer a pessoa para o presente, acalmar a mente e as emoções. Ela também é muito usada antes de iniciar processos de meditação. “Meditação e respiração consciente caminham juntas. São como parceiras de um propósito, que é estar no presente. Praticamos a observação da respiração quando meditamos, mas também podemos usá-la no dia a dia, para tomar consciência de algo e mudar o padrão da mente”, conta Helena.
“A respiração é uma ferramenta companheira e fundamental. Existem centenas de vertentes. Ela regula, cura, oxigena frequências cerebrais, conecta-nos ao momento de atividade (no agora), entre outros”, expõe Marcelo.

Técnicas de respiração para praticar em casa

“Anapanasati é uma técnica que consiste na observação da respiração acontecendo naturalmente. Sente-se no chão ou numa cadeira, faça algumas respirações, feche os olhos e mantenha a postura, com a coluna alongada e os ombros relaxados. Observe a respiração como se você fosse um porteiro nas abas das narinas. A mente foge e você a traz de volta e retorna à tarefa de ficar ali observando a sua respiração. Comece devagar, um minuto talvez, depois dois, cinco. Não se preocupe com resultados, fique no presente. Praticar respiração consciente representa um ato de profundo amor com a própria vida”, ensina Helena.

“Inspire profundamente por três segundos; expire também profundamente por três segundos. Isso trabalha o relaxamento. Inspire dois segundos, segure quatro segundos e solte em oito segundos para relaxamento e casos moderados de tensões. Inspire pela boca e solte pela narina para tensões mais acentuadas do dia. Para todos os estilos acima: imagine que este ar que entra tem volume, intensidade, calor e cor. Preste atenção em como o ar circula e, em todo o processo, inspire e expire”, indica Marcelo.

Respiração para dormir melhor

A técnica das 25 respirações antes de dormir promove um sono restaurador e, consequentemente, um dia mais produtivo, com energia e disposição. “Primeiro, feche a agenda e crie seu ritual: banho, escovar os dentes, se perfumar, entre outros. Deite-se confortavelmente, de barriga para cima, braços e pernas soltas, e comece a inspirar amplo e, na expiração, solte um ‘ahhhhhhhh’ sonorizado, como um suspiro de alívio, inicialmente pela boca. Depois isso vira um suspiro naturalmente e o ar sai pelas narinas. A intenção é soltar o corpo todo a cada expiração. O difícil é você chegar às 25 respirações, pois geralmente antes disso você já adormece, mas a atitude de relaxamento já entrou junto com você no sono”, ensina Helena.

A especialista encoraja que todos adotem alguma técnica de meditação, respiração e relaxamento para que, com calma, todos consigam colocar em prática seus planos e alcançar as metas traçadas para esse ano. “O desafio é praticar sem expectativas. A consciência de que você é a prioridade em sua vida é transformadora”, finaliza Helena.
“Pensar bem é pensar positivo. […] Nossa mente trabalha e consome, desnecessariamente, muita energia quando estamos à frente ou atrás do nosso momento. Todos os dias, abrace as pessoas que estão a sua volta. Não se cobre ou julgue e seja simples”, encerra Marcelo.

Mindfulness para qualidade de vida e redução do estresse

No dia 30/01/2017, das 19h30 às 22h, no Espaço Ki, acontece a palestra introdutória com vivência de Mindfulness, que será ministrada por Beatriz Azevedo, neuropsicóloga, especialista em psicossomática e técnicas de relaxamento.

De acordo com a profissional, o Mindfulness trabalha a atenção plena. É um treinamento mental da consciência e diferencia-se pela prática da atenção no mundo interior e exterior ao mesmo tempo, de estar atento ao momento presente. “Não se trata de relaxamento ou de ‘desligar a mente’. Pelo contrário, melhora a capacidade de atenção e, por isso, tem sido aplicado na educação com aumento da capacidade de concentração e em empresas com redução do estresse e maior rendimento no trabalho. […] Vários estudos científicos demonstram que o Mindfulness é eficaz em diferentes doenças psiquiátricas e somáticas como dor crônica, ansiedade, depressão, transtornos alimentares, entre outras.”
Assim como em outros tipos de técnicas, no Mindfulness é preciso dedicação diária e trabalhar a paciência. A técnica não promete o “felicismo”. Se isso acontecer, será por consequência e não por objetivo. Dessa forma, ensina a lidar melhor com o momento presente, seja ele feliz ou triste, pois se aprende a lidar com os fatos como são, sem julgamento.

A neuropsicóloga indica que quando os pensamentos fervilharem e mente estiver diante de um problema que parece não ter solução, é preciso parar e respirar profundamente prestando atenção em como está o seu corpo. “Ouça os sons ao seu redor, olhe e perceba o que enxerga. Aguce seus sentidos e sinta a sua presença. Agradeça o fato de estar vivo e seja gentil com você mesmo. O problema continuará lá, mas a sua maneira de lidar com ele irá mudar”, encerra.

Para participar da palestra basta se inscrever pelo telefone 2408-2078 ou e-mail fale@espacoki.com.br e contribuir com 1 kg de alimento ou R$ 15, que serão doados para instituição de auxílio a crianças ou idosos.