Meditação: um desafio para os ocidentais

*José Paulo Ferrari

Inserir um “novo” comportamento na vida dos povos ocidentais, em que tempo é dinheiro, é sempre um desafio que requer, sobretudo, disciplina e determinação. Embora a Meditação seja uma prática, reconhecidamente, eficaz para a recuperação e manutenção da saúde física, emocional e mental, ainda é insignificante o número de brasileiros que dela lançam mão com regularidade. Vale lembrar que apesar dela estar, também, presente nas práticas ditas Integrativas e Complementares em Saúde, inseridas no atendimento oferecido pelo próprio SUS, muitos a relacionam com aspectos religiosos ou místicos e deixam de conhecê-la e de usufruírem de seus benefícios.

Na verdade, a Meditação como prática terapêutica vem sendo difundida, cada vez mais, nos meios acadêmicos, já que a Ciência há mais de trinta anos a reconhece como uma técnica que promove um estado de consciência alterado que traz benefícios para o próprio cérebro, aumentando a rede de comunicação dos neurônios, conforme comprovam exames de imagens, que mostram quais áreas do cérebro são ativadas por meio do emprego das chamadas técnicas meditativas. É o caso, por exemplo, de pessoas que meditam terem mais ativadas as áreas cerebrais consideradas como indicadoras de estados prolongados de felicidade. Outra mudança importante trazida por essa prática é a redução dos fatores que causam estresse e até mesmo a depressão.

Não são poucos os artigos científicos que revelam a compreensão atual, por exemplo, da neurofisiologia da meditação, em todo o Mundo.  No Brasil, inúmeras são as universidades que, atualmente, mantém cursos de extensão e pós-graduação na área, algum deles – inclusive – gratuitos.

“Medicina e Meditação”, do médico, professor e pesquisador Roberto Cardoso

Há, também, no mercado muitas obras interessantes que oferecem ao leigo, de maneira geral, sólido conhecimento sobre a arte de meditar. Entre elas “Medicina e Meditação”, do médico e pesquisador Roberto Cardoso, professor na Unifesp que coordena um curso de Formação de Facilitadores de Meditação em Saúde.

Vale a pena conferir…!

*José Paulo Ferrari é psicólogo clínico, com especialidade em Saúde pela Unifesp, Hospital do Câncer e sua principal área de pesquisa é a Espiritualidade e sua relação com o bem-estar humano