Meio Ambiente envia resposta escorregadia

Segue a resposta que a Secretaria Municipal do Meio Ambiente enviou ao Click Guarulhos, por meio da Assessoria de Imprensa

Assunto: poda na praça Coronel Coura Martinho

Com relação aos questionamentos, a Secretaria de Meio Ambiente informa que foram realizadas as podas de rebaixamento de copas, de condução de copas dos espécimes mais jovens para induzir formação de anatomia segura e controlada e fitossanitárias para controle de pragas e doenças de 16 indivíduos arbóreos. Não foi retirada nenhuma árvore. A equipe operacional da SEMA, composta por engenheiros florestais e agrônomos, realizou a ação porque avaliou sua necessidade após vistorias no local. A medida foi tomada para garantir a segurança e bem-estar dos indivíduos arbóreos e da comunidade. Na praça, existem três espécies de Mata Atlântica, como a Pau-ferro, a Tataré e a Canafístola. As restantes são espécimes exóticos. Vale ressaltar, ainda, que a equipe técnica avaliou potencial de risco de queda de uma árvore que passa a ser manejada e monitorada por precaução.

MINHA OPINIÃO

Sou um jornalista e não um engenheiro agrônomo. Portanto, não posso discutir tecnicamente com quem é do ramo. Mas, em minha visão e na dos muitos moradores que estiveram na praça da vila Progresso, o que foi feito ali está longe de ser apenas rebaixamento de copas. Nenhuma árvore foi retirada, mas os cortes que elas sofreram foram severos, nada parecido com o que se convencionou chamar de podas.
Era preciso dar uma resposta e eles a deram usando de argumentos técnicos e termos rebuscados como “elementos arbóreos”. Como o mecânico quando diz que é preciso trocar a “rebimboca da parafuseta” e o motorista fica se perguntando que diabos se pretendeu dizer com aquilo.

Enfim, não creio que essa história termine aí. Deve haver alguém que entenda mais de “elementos arbóreos” do que este inconformado escrevinhador e que possa debater em pé de igualdade com esses senhores da razão.

Cá para nós, senhores engenheiros florestais e agrônomos, aquelas árvores estariam atrapalhando a visão dos nobres futuros moradores do condomínio vizinho. Que mania têm as árvores de atrapalhar os seres humanos!

Valdir Carleto