Ministério da Saúde assina primeiro acordo para redução de açúcar em alimentos

A Bimbo Brasil, empresa que é referência no setor de panificados, assume o compromisso com o Ministério da Saúde para reduzir açúcares em seus produtos. Acordo foi assinado hoje por meio das associações ABIA (Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação); Abimapi (Associação Brasileira da Indústria de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados), ABIR (Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e Bebidas Não Alcoólicas) e VIVA LÁCTEOS (Associação da Indústria de Lácteos) e ,ao todo, fazem parte 68 indústrias, que representam 87% do mercado de alimentos e bebidas do País.

O objetivo é reduzir os açúcares em 5 grupos de alimentos, subdivididos em 23 categorias: bebidas adoçadas, biscoitos, bolos prontos e misturas para bolo, achocolatados em pó e produtos lácteos. A iniciativa é voluntária e prevê retirar, de forma gradual, 144,6 mil toneladas até 2022.

A principal frente é com a marca Nutrella, que lançou recentemente a linha Nutrella Viva: pães sem conservantes, sem aditivos químicos, feitos com farinhas de grãos germinados, ou seja, o grão em seu estado mais nutritivo.

Além disso, todos os produtos integrais da Bimbo, para ter esta nomenclatura, precisam ter duas premissas: farinha integral como primeiro ingrediente e ser fonte de fibras. Os produtos integrais da empresa são feitos com uma quantidade bem maior de farinha integral do que a média de mercado – no mínimo 51% – e, mesmo assim, eles mantêm os atributos de sabor desejados pelo consumidor brasileiro.

Em setembro, a Bimbo também lançou a linha integral do snack Crocantíssimo. São três sabores: Azeite & Toque de Pimenta Preta, Cebola & Salsa e Sour Cream. Fonte de fibras, o snack é assado e não têm conservantes nem gordura trans. Até o pão Artesano da marca Pullman e PluVita – um sucesso de vendas – também ganhou recentemente uma versão integral.