Motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo aprovam greve para esta sexta-feira, 6

Sindicato dos motorista de ônibus de São Paulo em protesto no Viaduto do Chá, em frente o gabinete do prefeito Bruno Covas - Foto: Paulo Pinto /Fotos Públicas

Apesar dos ônibus terem voltado a circular na Capital Paulista por volta das 17h30 desta quinta-feira (5), após paralisação de motoristas e cobradores que protestam contra redução da frota na cidade, a categoria aprovou em assembleia greve para esta sexta-feira (6) a partir de 1h.

Ao longo da tarde, pelo menos 18 terminais de ônibus ficaram fechados. Eles também reivindicam o pagamento de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e garantia de postos de trabalho.

De acordo com José Carlos Negrão, da secretaria da igualdade racial do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de ônibus da cidade de São Paulo, desde maio, pelo 450 ônibus foram retirados de circulação na cidade.

“Serão 7 mil trabalhadores demitidos, então os empregados estão assustados e além disso, tem também o salário. Combinaram que iam assinar o acordo coletivo da categoria, não assinaram, não pagaram a Participação nos Lucros e Resultados e ameaçam o salário do mês”, aponta.

A assembleia que decidiu pela greve ocorreu após reunião dos manifestantes com o secretário de Mobilidade e Transporte do município, Eduardo Caram. Segundo a assessoria de imprensa do sindicato, não houve avanço na pauta apresentada pelos grevistas. A Participação nos Lucros e Resultados implica em um pagamento adicional de R$ 1,2 mil.

O rodízio municipal de veículos foi suspenso na tarde de hoje e amanhã (6), informou a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT). O órgão não retornou aos questionamentos sobre a reunião, bem como sobre a pauta apresentada.

CPTM e Metrô fazem operação especial em razão da paralisação

Devido ao fechamento de terminais de ônibus nesta quinta-feira (5), a CPTM e o Metrô, empresas vinculadas à Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos (STM), vão operar com oferta máxima de trens e reforço de equipes nas estações também depois do horário de pico, que normalmente é das 17h às 19h30, para atender ao aumento da demanda de passageiros na noite de hoje. A estratégia deve ser repetida na manhã desta sexta-feira (6) caso seja mantida a paralisação dos motoristas de ônibus municipais.

A orientação para quem precisar mudar o trajeto em função da paralisação dos ônibus é consultar o site www.cptm.sp.gov.br e também as redes sociais da Companhia (Twitter @CPTM_oficial e Facebook @CPTM.fanpage) para planejar da melhor forma possível seus deslocamentos neste dia atípico. Mais informações podem ser obtidas na Central de Atendimento da CPTM, pelo telefone 0800 055 0121, que funciona 24 horas.

Para saber sobre a operação do Metrô, o passageiro pode consultar o site www.metro.sp.gov.br e também os perfis da Companhia nas redes sociais (Twitter @metrosp_oficial e Facebook @metrosp). Mais informações podem ser obtidas na Central de Atendimento, pelo telefone 0800 770 7722 que funciona todos os dias das 5h à meia-noite.

*Com informações da Agência Brasil