Nova animação da Disney, além de cativante, possui um potencial representativo imenso

Divulgação

É importante começar dizendo que Moana não é uma animação qualquer. Ron Clements e John Musker, diretores de clássicos como Aladdin e Hercules, não só fazem um filme que se mostra extremamente importante e representativo para o cenário cultural atual, como também reinventam um conceito que a muito tempo não sai de sua formula rígida: o da princesa.

O longa conta a história de uma menina, pertencente a uma tribo polinésia, que se aventura pelo Oceano Pacífico em busca da origem de seus ancestrais. No caminho, ela conhece Maui (dublado na versão original por Dwayne “The Rock” Johnson), um semideus muito convencido de si e que reluta em ajuda-la na sua jornada.

Diferente de outras princesas da Disney, Moana não está em busca de um príncipe encantado ou um final do tipo “felizes para sempre”. Aqui, a garota simplesmente quer saber pra onde ela vai, de onde ela veio e se descobrir com isso. Sempre muito segura, corajosa e determinada.

Seus momentos de interação com Maui, que apesar de ser cheio de si se mostra muito mais inseguro do que a garota, são realmente preciosos. Quando o semideus fica perdido dentro de toda sua insegurança, é Moana que levanta seu espírito, que se torna seu porto seguro. Maui representa o público que assiste ao filme, e Moana, a lição a ser aprendida.

Outro ponto alto do longa é a importância cultural que ele tem. Por ser uma animação com uma protagonista feminina, negra, forte e que constrói um novo conceito de princesa para si, Moana promove uma quebra de paradigmas. Para um público que está acostumado com animações onde a princesa (quase sempre branca) está em busca de algo praticamente utópico, ou em que seu objetivo principal é encontrar o homem de sua vida (o príncipe encantado), Moana marca o início de algo diferente e muito significativo. É uma tremenda lição mostrar que uma mulher, para ser completa e feliz, não precisa achar o homem ideal. Basta apenas se encontrar e conhecer a si mesma.

(FOTO: Internet/Divulgação)

Com belas imagens, divertidas músicas e uma retratação super sensível da cultura dos polinésios e das tribos maori, Moana – Um Mar de Aventuras conquista facilmente quem assiste. Uma das melhores animações já feitas, o filme prova que é possível sim reinventar conceitos, mostrar coisas diferentes e ainda assim criar um elo com o público.

Nota: 10/10