Operação Falcão Peregrino prende mais de 30 pessoas por tráfico de drogas

A Polícia Federal (PF) no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos prendeu, no período de 4 a 17 de dezembro, durante a “Operação Falcão Peregrino”, 32 passageiros por tráfico de drogas. Eles eram oriundos de voos nacionais e internacionais. Com eles foram apreendidos 170 quilos de cocaína.

Equipes de policiais federais, especializadas no combate ao tráfico de drogas, provenientes de diversos Estados, atuaram em conjunto com as equipes da delegacia da PF no Aeroporto. O objetivo da operação foi realizar a interdição de drogas.

A utilização de técnicas para identificação de perfis suspeitos resultou na prisão de 32 passageiros, que tentaram embarcar com 170 quilos de drogas, ocultas das mais diversas maneiras. Dos presos, 17 são homens e 15 mulheres. As apreensões de drogas ilícitas pela PF em 2018 no Aeroporto já são as maiores dos últimos sete anos.

Os principais destinos das substâncias ilícitas apreendida eram países do continente africano, principalmente Etiópia (25%) e África do Sul (11%), seguidos pelos países europeus: Portugal (11,3%) e Espanha (7%).

O nome da operação se deu em razão do reforço policial proveniente de diversos Estados da União.

* Com informações da Polícia Federal

Operação Refúgio

A Polícia Federal também deflagrou na manhã desta terça-feira, 18, a “Operação Refúgio”, que age contra organização criminosa especializada no tráfico internacional de drogas. Segundo as investigações, o grupo de sérvios usava o Porto de Santos, no litoral paulista, e o de Navegantes, em Santa Catarina, para enviar drogas para a Europa.

Foram cumpridos 13 mandados de prisão temporária e 12 mandados de busca e apreensão. Cinco pessoas foram presas. Os mandados judiciais, expedidos pela 7ª Vara Criminal Federal de São Paulo, são executados nas cidades de Guarulhos, Itapevi e São Paulo, além de Extrema (Minas Gerais) e Itajaí (Santa Catarina).

Uma cooperação policial com a Agência Antidrogas Norte-Americana revelou que um grande narcotraficante sérvio articulava a compra de cocaína na cidade de São Paulo. O inquérito policial foi instaurado em abril deste ano.

Os investigados responderão pelos crimes de tráfico de drogas e associação internacional para o tráfico de drogas, com penas de três a 15 anos de prisão.

* Com informações da Agência Brasil