Os vampiros de Brasília

Carlos Sobral – poeta guarulhense

Os vampiros de Brasília

Nunca param de sugar

Sugam tudo que podem

E o povo tem que pagar

É muito triste se ver esta triste situação

Dizem que fazem muito,

Mas roubam toda a Nação

Assim o povo sem consciência quatro anos vai esperar

E sempre se elegem os mesmos

Pois misérias

vão lhe pagar

Meu pensamento é distinto

Eu vivo com muita dor

Há muito tempo eles estão ricos

À custa do povo pobre e sofredor

Ao terminar, vou dizendo:

Não sei mais o que fazer,

Fico aqui só imaginando

E vendo meu povo pobre a sofrer