Por Cris Marques
Fotos: Divulgação e Rafael Almeida

Com a lista de indicados para o Oscar 2016 já anunciada e os prêmios que foram entregues no Globo de Ouro – uma das principais premiações de Hollywood antes do próprio Oscar – cresce a expectativa em torno dos grandes vencedores do evento mais esperado da indústria cinematográfica. Amauri Eugênio Jr. (foto), redator de cinema do Yahoo! Brasil, explica que o Globo de Ouro é um bom indicador do que pode acontecer, pois mostra favoritos e queridinhos da crítica, mas não inibe possíveis surpresas. “Não dá pra levar ao pé da letra. Em 2015, por exemplo, Michael Keaton ganhou como melhor ator com ‘Birdman’, mas perdeu o Oscar para Redmayne”.

Para ele, a disputa principal está dividida entre três filmes: “Spotlight – Segredos Revelados”, “O Regresso” e “Carol”. “‘Spotlight’ retrata a história de um grupo de jornalistas que descobre um escândalo de pedofilia entre padres em Chicago e foi muito elogiado pelo público e pela crítica. ‘Carol’, foi inspirado no livro homônimo de Patricia Highsmith e é sobre um relacionamento homoafetivo entre uma mulher rica e uma vendedora de uma loja de brinquedos. Já ‘O Regresso’ tem vários ingredientes de um forte candidato ao Oscar de melhor filme: a narrativa do mocinho (não tão bonzinho assim, vale dizer) que parte em uma jornada para se vingar de quem o prejudicou, elenco de primeira e um grande diretor. E é tecnicamente muito bom; tanto que o filme lidera a lista de indicações, 12 no total”.

Além disso, ele define outros embates interessantes, como melhor atriz entre Cate Blanchett, Brie Larson (vencedora do Globo de Ouro por “O Quarto de Jack”) e Saorsie Ronan; melhor ator, com Leonardo DiCaprio (vencedor do Globo de Ouro por “O Regresso”) e Eddie Redmayne, de “A Garota Dinamarquesa”; melhor atriz coadjuvante entre Rooney Mara, Kate Winslet, Alicia Vikander e Rachel McAdams e melhor ator coadjuvante com Stallone e Mark Ruffalo (“Spotlight”). Sobre o possível ano de DiCaprio, famoso por quase levar a estatueta dourada diversas vezes, Amauri é otimista, mas cita uma situação curiosa. “Ele é um forte candidato. ‘O Regresso’ foi muito elogiado no exterior e a expectativa é grande no Brasil. Além disso, o ator vem se desafiando de modo mais intenso a cada trabalho. Mas talvez ter levado o Globo de Ouro o prejudique um pouco; afinal, não é tão comum o mesmo ator levar dois grandes prêmios consecutivos, o que também cabe para seu principal oponente, Redmayne, que levou o Oscar 2015”.

Torcida brasileira

Apesar da torcida para que o drama “Que Horas Ela Volta”, com Regina Casé, fosse um dos indicados na categoria Melhor filme estrangeiro, a esperança dos brasileiros não se concretizou o que, segundo Amauri, não foi necessariamente uma surpresa. “O longa é ótimo e é um ‘tapa na cara social’, mas tem linguagem de filme independente, ou seja, apesar de ter sido sucesso de público e crítica, não nasceu para ser um blockbuster”. Mesmo assim, o Brasil estará presente com a animação “O menino e o mundo”, que concorre com “Divertida Mente”, da poderosa fusão entre Disney e Pixar. “Ele não leva o Oscar, isso é um fato. ‘Divertida Mente’ está forte a ponto de concorrer à estatueta de melhor roteiro original. Mas a indicação é um marco. Há quem diga que animações brasileiras não prestam, que não temos know-how e assim por diante. Mas o diretor Alê Abreu mostrou exatamente o contrário: temos plenas condições de fazer trabalhos maravilhosos com poucos recursos e, nesse caso, a métrica do sucesso não é a premiação”.

#OscarAindaMuitoBranco

Apesar do ator e comediante Chris Rock ter sido convidado e confirmado como apresentador deste ano, aparentemente, ele será um dos únicos negros na comemoração. Isso porque, pelo segundo ano, todos os 20 atores indicados são brancos. E essa falta de diversidade incomodou não só os internautas, que levantaram a bandeira nas redes sociais sob a hashtag #OscarsSoWhite, no Brasil adaptada para #OscarAindaMuitoBranco, como também diversos atores, que pretendem boicotar a premiação. “A questão da representatividade negra é polêmica há tempos, tanto que há uma onda de protestos nos últimos dias por não haver candidatos negros. O único caso é em roteiro original com ‘Straight Outta Compton’, sobre o grupo de rap NWA. Spike Lee (foto) recebeu no ano passado um Oscar honorário pelo conjunto da obra, mas já afirmou que não irá este ano. Will Smith estava cotado por ‘Um Homem Entre Gigantes’, mas não irá concorrer. Se o Oscar está plural em outras frentes, como em relação à causa LGBT, é triste ver que atores negros são secundários. Não se trata de vitimismo étnico, mas sim de igualdade. Infelizmente, Hollywood anda desigual. Bem desigual e nada plural”, finaliza.

 

Confira os indicados aos principais prêmios
e faça a sua aposta:

Melhor filme

“A grande aposta”
“Ponte dos espiões”
“Brooklyn”
“Mad Max: Estrada da fúria”
“Perdido em Marte”
“O regresso”
“O quarto de Jack”
“Spotlight – Segredos revelados”

Melhor ator

Bryan Cranston, “Trumbo”
Matt Damon, “Perdido em Marte”
Leonardo DiCaprio, “O regresso”
Michael Fassbender, “Steve Jobs”
Eddie Redmayne, “A garota dinamarquesa”

Melhor atriz

Cate Blanchett – “Carol”
Brie Larson, “O quarto de Jack”
Jennifer Lawrence, “Joy”
Charlotte Rampling, “45 anos”
Saoirse Ronan, “Brooklyn”

Melhor diretor

Alejandro G. Iñárritu, “O regresso”
Tom McCarthy, “Spotlight”
George Miller, “Mad Max: Estrada da fúria”
Adam McKay, “A grande aposta”
Lenny Abrahamson, “O quarto de Jack”

Melhor atriz coadjuvante

Jennifer Jason Leigh, “Os 8 odiados”
Rooney Mara, “Carol”
Rachel McAdams, “Spotlight”
Alicia Vikander, “A garota dinamarquesa”
Kate Winslet, “Steve Jobs”

Melhor ator coadjuvante

Christian Bale, “A grande aposta”
Tom Hardy, “O regresso”
Mark Ruffalo, “Spotlight”
Mark Rylance, “Ponte dos espiões”
Sylvester Stallone, “Creed”

Melhor animação

“Anomalisa”
“O menino e o mundo”
“Divertida Mente”
“Shaun, o carneiro”
“Quando estou com Marnie”

Quer ler outras matérias da edição 314 da Revista Weekend? Acesse!