Palestra proporciona reflexão sobre as causas da discriminação racial

Nesta quinta-feira (21) foi comemorado o Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial. Para marcar a data, a Subsecretaria da Igualdade Racial, ligada à Secretaria de Direitos Humanos, realizou no Adamastor Centro, a palestra “Ciência, Educação e Relações Étnico-raciais”, ministrada pelo professor doutor Christian Fernando dos Santos Moura.

Entre as reflexões abordadas pelo palestrante esteve um panorama sobre as relações raciais na educação com elementos para os debates sobre a discriminação racial e o racismo. Moura começou lembrando do Massacre de Shaperville, na África do Sul, onde 69 pessoas foram assassinadas, na década de 60. “Sobrevivemos quando nos curamos e nos abraçamos, cuidando bem de nós, falando da gente, fazendo filmes. É preciso falar de nós e sobre nós”, relatou o professor, citando um texto escrito finalizado após a prisão dos suspeitos do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco.

A subsecretária de Políticas da Diversidade, Ana Marques, lembrou que o Brasil é o país que mais mata jovens, negros e LGBTI. “O nosso País vai na contra mão. Ao invés de diminuir o número de mortes, aqui aumenta. Porém, acredito que de cabeça em cabeça, de sementinha em sementinha podemos mudar o mundo”.

Na mesma linha de pensamento, o subsecretário da Igualdade Racial, Anderson Guimarães, reforçou: “Nosso pensamento é induzido a partir de uma série de saberes e descobrir quais são eles é o nosso objetivo hoje. Entender a origem do nosso pensamento é o que vai fazer as pessoas serem mais ou menos racistas”.