Por Cris Marques
Fotos: Arquivo pessoal, banco de
imagens e reprodução

A moda é cíclica e o militarismo continua como uma tendência revisitada na nova estação. O estilo, que surgiu nos anos 40, durante a Segunda Guerra Mundial, ganhou força na década de 70, com o movimento hippie e sua crítica à Guerra do Vietnã. Assim, o que era uniforme virou referência e a moda militar tornou-se uma grande aposta do universo fashion.
De acordo com Juliana Sena, consultora de estilo pessoal e criadora do blog El Ropero, nessa temporada a estampa camuflada aparece de forma mais tímida. Já os tons terrosos e verdes ganham, cada vez mais, espaço nos armários e closets, em peças como coletes, jaquetas, parcas, trench coats, vestidos com cortes pesados e calças cargo ou de sarja. Os detalhes ficam nos recortes mais masculinos, ombros marcados, muitos bolsos, abotoamentos duplos e botões e a presença do dourado.

Referência de moda

O militarismo vem e vai tanto que as peças já são consideradas atemporais e podem ser usadas em qualquer período do ano, desde que adaptadas à temperatura da época. “Em uma estação mais fresquinha, por exemplo, pode-se usar um vestido floral com um colete de referência militar por cima. Além de inusitada, a mistura entre uma peça mais sóbria e outra delicada torna a composição mais interessante. Já em uma temperatura mais fria, esse mesmo colete pode compor um novo look com malha listrada (preto e branco) de mangas 3/4 e uma calça jeans reta”, afirma ela.

 

Cabeça, ombro, joelho e pé

O estilo também vai além das roupas, estando presente em diversos acessórios que podem compor o look. Na cabeça, vale abusar de chapéus em tons terrosos, verde oliva ou musgo. No pescoço e braços, colares e pulseiras de metal com visual pesado, peças em ouro velho ou rústicas e feitas de couro. A tiracolo, aparecem as bolsas transpassadas. Nos pés, botas de cano longo, com tachas, acabamento em ferragens e detalhes e aplicações em dourado ou coturnos mais pesados, inspirados diretamente no universo dos militares.

Bandeira branca

Democrática, a moda militar não tem restrição de idade ou de corpo e é uma opção fácil de usar. Porém, é preciso saber dosar para não sair por aí com cara de soldadinho. “O segredo para não ficar caricata é mesclar tendências, criando um visual mais criativo. Até dá para fazer um look todo com essa referência, mas aumenta o risco de errar”. A consultora ainda afirma que misturar o estilo com peças femininas e tecidos como seda, renda ou veludo funciona bem.

Hora de “se alistar”

Toda mocinha: Combine uma saia de renda branca com camisa listrada, bolsa a tiracolo, jaqueta verde com ombro marcado e uma sandália em tons terrosos.

Básica, mas nem tanto: aposte na combinação entre calça skinny preta, camiseta ou regatinha básica preta, colete militar e ankle boot ou coturno.

Fina e elegante: a calça camuflada funciona muito bem com uma blusinha estruturada, blazer de alfaiataria e um scarpin de bico fino.