Permanece impasse sobre funcionamento ou não do HMU

HMU 2ª Fase Inauguração - Foto Sidnei Barros

A Clínica Médica Aricanduva é uma empresa contratada pelo Instituto Gerir para administrar o HMU (Hospital Municipal de Guarulhos); uma espécie de “quarteirizada”.
]
Na data de ontem, 30, seus dirigentes entregaram ao Gerir um óficio, aqui reproduzido, em adiamento a outro, enviado em 23.07, que não surtira efeito.

No novo ofício, a Aricanduva informa que, devido aos constantes atrasos nos pagamentos dos valores a ela devidos, o que tem causado imensos transtornos a seus profissionais, passará a atender e acolher, a partir das 19h desta terça-feira, 31 de julho, apenas os pacientes referenciados como Emergência pela Central de Regulação do Município, “fechando as portas do HMU aos demais casos não referenciados”.

O programa “Radar de Notícias” divulgou em sua edição da manhã de hoje que a Prefeitura manifestou-se, afirmando que nao iá permitir o fechamento da unidade, não esclarecendo, no entanto, como a gestão municipal pretende impedir que a decisão unilateral dos prestadores de serviços seja posta em prática.

Tendo em vista o impasse e não tendo recebido nenhuma manifestação escrita da Prefeitura, o portal Click enviou à Subsecretaria de Comunicação pedido de esclarecimentos.

Nas redes sociais, o anúncio da suspensão no atendimento está sendo um prato cheio para setores da oposição, o que torna ainda mais importante que a Administração Guti venha a público esclarecer. Afinal, quanto a Prefeitura deve ao Gerir e a que meses se refere o débito? Quando será possível fazer novos pagamentos?

Ofício Gerir 30jul2018 – ARICANDUVA (1)

 

RESPOSTA DA PREFEITURA

 

A Prefeitura de Guarulhos respondeu que o contrato com o Instituto Gerir, responsável pela administração do HMU (Hospital Municipal de Urgências) está em dia e que o atendimento de urgência e emergência seguirá em funcionamento normal, afastando, portanto, a hipótese de suspensão no atendimento, como cogitado, a partir de ofício assinado pelos dirigentes da Clínica Médica Aricanduva, que presta serviços ao Instituto Gerir, responsável pela administração do HMU.

“Somente neste ano de 2018 foram repassados ao Hospital R$ 30.241.680,87, conforme previsto em contrato. No entanto, o Instituto alega que o valor pactuado no contrato já não é mais suficiente para manter as operações do Hospital, uma vez que houve um aumento significativo nos atendimentos, não previstos pelo próprio Instituto”, diz a nota oficial distribuída pela Subsecretaria de Comunicação.

Segundo a nota, nesta terça-feira, desde o final da manhã, está havendo reunião entre os secretários de Saúde e da Fazenda, junto à direção do hospital para os devidos esclarecimentos.

A Prefeitura informa, ainda, que, diante das informações divulgadas de uma possível paralisação de médicos contratados pelo Instituto, a Secretaria Municipal de Saúde desenvolveu um plano de contingência, com profissionais preparados para manter o atendimento de urgência e emergência nesta unidade hospitalar.