PF apreende cocaína dentro de colete e produtos cosméticos

A PF prendeu em ações distintas, entre os dias 9 e 10/ago, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, duas mulheres tentando embarcar com drogas para o continente africano.

Na primeira ação, ocorrida na sexta-feira (9), funcionários que fiscalizam os passageiros que passam pelo controle migratório, ao revistar a passageira, nacional da Namíbia, de 26 anos de idade, que pretendia embarcar para Addis Ababa, na Etiópia, encontraram, sob as vestes, uma espécie de colete contendo material suspeito. Os policiais federais foram acionados e conduziram a passageira para a delegacia, onde recebeu voz de prisão após os peritos federais identificarem a substância contida no colete como cocaína, cujo volume total somou quatro quilos.

Já na tarde do sábado (10), policiais federais, acionados por funcionários que operam os aparelhos de raio-x, no porão de bagagens, que identificaram quatro volumes suspeitos dentro da mala de uma passageira, diligenciaram até o interior da aeronave e localizaram a proprietária da mala, uma mulher nacional da África do Sul, de 38 anos de idade. A passageira foi conduzida até a porta da aeronave para que acompanhasse a revista em sua mala. A mulher, já bastante nervosa, tentou alegar que a mala não lhe pertencia, mas os policiais encontraram dentro de seu passaporte o ticket que ela havia recebido no momento em que realizou o check-in. Na mala foram encontrados 4 frascos de cosméticos que, pressionados, expeliam os produtos descritos nas embalagens mas quando foram destampados, revelaram o artifício montado pelo traficante, com o uso de preservativos, para iludir a fiscalização. A substância cremosa que estava ao redor do preservativo, ao ser submetida ao narcoteste, foi identificada como cocaína. O peso total somou quase quatro quilos. A passageira, que pretendia levar a droga para a África do Sul, recebeu voz de prisão por tráfico internacional de drogas.

As presas serão conduzidas ao presídio estadual onde permanecerão à disposição da Justiça.