Inconformado com o que via, o munícipe Wilson David dos Santos, esportista, muniu-se de uma câmera fotográfica e fez dezenas de fotos de imóveis do Centro de Guarulhos, mostrando o quanto as pichações deixam a cidade parecendo um cenário de pós-guerra.

pich 13O Click Guarulhos reproduz algumas das fotos feitas por ele, para exemplificar. Esse é um hábito danoso, que só traz prejuízos e não acrescenta nada à vida de ninguém, nem mesmo à dessas pessoas que dedicam tempo e dinheiro a essa destruição do patrimônio alheio.

As pichações deixam um aspecto de abandono, que prejudica o comércio e a cidade como um todo, porque afasta consumidores e gera desemprego.

 

As autoridades precisam mudar o modo como enfrentam esse problema. Está mais do que provado de que a situação não pode continuar como está. Comerciantes têm sido obrigados a colocar cercas com metal pontiagudo para tentar impedir a ação dos malfeitores; porém, isso também transmite uma imagem ruim, pois passa a ideia de prisão, de área sitiada.

pich 8 arame

Só mesmo uma campanha de conscientização que envolvesse toda a população talvez mude esse hábito nocivo; uma campanha que fosse feita por intermédio das escolas, entidades de bairros, associações empresariais, igrejas, enfim, a soma de todos os organismos vivos da sociedade, para buscar incutir nas pessoas que fazem isso (provavelmente jovens, mas não apenas jovens) a consciência de que esse momentâneo prazer que sentem em desafiar alturas e obstáculos também os prejudica, na medida em que certamente todos gostariam de viver em um lugar que acolhesse bem as pessoas, um lugar onde as famílias sentissem prazer de andar, de conviver, de participar de atividades.

pich 14 câmara

pichação 1

Pode parecer algo de menor importância, diante de tantos problemas cruciais das grandes cidades, mas esse é um traço de subdesenvolvimento, de baixa autoestima da população e uma mudança radical, que desse um aspecto festivo e humano ao Centro de Guarulhos certamente irradiaria reflexos positivos para os bairros. E, com o sentimento de pertencimento, de que a cidade é de todos e só será melhor quando todos participarem da mudança de comportamento, talvez possamos nos orgulhar da nossa Guarulhos, não apenas para mostrá-la bem a quem nos visita, mas, principalmente, para que nos sintamos bem vivendo nela.

Valdir Carleto