Polícia Federal apreende 20 kg de droga no Aeroporto

Cinco passageiros de voos internacionais foram presos pela Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos, entre os dias 8 e 11 de dezembro, por tentativa de embarque com drogas. Ao todo, 20 quilos foram apreendidas.

Na sexta-feira, 8, os funcionários que operam o raio-x do portão de bagagens identificaram substâncias suspeitas no interior de duas malas que teriam destino à Doha, no Catar. A proprietária das bagagens, uma mulher de 63 anos, nacional do Chipre, foi conduzida à delegacia. Foram encontrados 22 volumes contendo mais de sete quilos de cocaína. A presa confessou que as drogas seriam levadas para Hong Kong, no Japão.

Ainda na sexta, na fila do check-in de voo com destino a Zurique, na Suiça, um brasileiro de 26 anos de idade foi preso após os policiais federais localizarem, dentro de sua bagagem de mão, dois volumes contendo mais de dois quilos de cocaína. O homem disse ter recebido a droga em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, e que a levaria para Portugal.

No domingo, 10, cães farejadores da Polícia Federal e Receita, auxiliaram na localização de drogas com outros dois passageiros. Um homem, nacional do Equador, que embarcaria em voo com destino a Etiópia, foi preso pelos policiais federais após o cão farejador, conduzido por um servidor da Receita Federal, indicar ao seu operador algo suspeito dentro de uma mala despachada. No interior da mala foram encontrados dois quilos de cocaína ocultos em fundos falsos. Já o cão operado pelos policiais federais, no saguão do aeroporto, junto aos passageiros que realizavam o check-in, demonstraram interesse por uma mulher, uma brasileira de 27 anos de idade. Submetida à busca pessoal por uma policial feminina, foram encontrados, sob suas vestes, 10 volumes contendo um quilo de cocaína. A presa pretendia levar a droga para a África do Sul.

Na madrugada de hoje, 11, um passageiro, nacional da Lituânia, desembarcou de voo procedente de Lima, no Perú, com mais de seis quilos de cocaína dentro de suas malas. A droga, que estava distribuída em 24 volumes, tinha como destino a França. O homem havia sido selecionado por servidores da Receita Federal nos canais de inspeção, momento em que foram localizados os volumes suspeitos. Conduzido à delegacia, para realização dos exames periciais, o suspeito recebeu voz de prisão assim que a substância foi identificada como ilícita.