Policial civil, amigo de Balcone, não crê em crime político

O policial civil Jaime Ficher, com 30 anos de experiência, comenta que é precipitado buscar atribuir assassinato do advogado Leandro Balcone a um crime político.

“Peço aos amigos muito cuidado com as Teorias de Conspiração. Sou da área policial, não falo em nome de nenhum setor ou departamento, falo em nome dos meus 30 anos de experiência na área e bons serviços prestados, mas as primeiras informações que me chegam não apresentam nenhuma característica de crime político. Portanto, tomem cuidado para não acenderem um pavio que parece apagado. Aguardem as investigações e tenham muito juízo para não provocarem coisa pior. Meus sentimos à família, que ele seja recebido com toda Paz e Luz em sua nova morada…”, comentou Ficher em post do jornalista Pedro Notaro, no Facebook.

As cogitações de crime político são inevitáveis, por considerar que Balcone era uma das pessoas que mais se destacavam, falando nas manifestações contra o PT em Guarulhos, na condição de membro do Movimento Guarulhos Livre. Porém, como Balcone era advogado criminalista, podem ter havido questões de outro tipo, que não o da política.

Leandro Balcone estava filiado ao PSB, pelo qual pretendia candidatar-se a vereador. Em 2012, foi candidato pelo PDT e, em 2014, chegou a assumir a cadeira por curto período (foto).