Prefeitura afirma que 12 mil servidores municipais terão reajuste acima da inflação

Paço Municipal, sede da Prefeitura de Guarulhos - Foto: Divulgação

Segundo a Prefeitura de Guarulhos, um total de 11.996 servidores públicos municipais terão reajuste superior a inflação acumulada nos últimos 12 meses, que foi de 4,47%, segundo o ICV do Dieese. 

Desse contingente, que representa mais da metade do funcionalismo, 5.588 funcionários receberão aumentos maiores que 10%. 2.945 servidores terão reajuste até 10%; 1.534 receberão 15%; 798 terão 20%; 309 ganharão 25%, enquanto 2 terão 30% de aumento em seus vencimentos.

Os reajustes, em decorrência da aprovação do novo Regime Próprio em março, significarão um acréscimo mensal de quase quatro milhões (R$ 3.894.502,74) na folha de pagamento da Prefeitura. 

Ainda segundo a Prefeitura, o ganho real no salário é apenas um dos benefícios concedidos pelo município desde o início de 2017, quando o prefeito Guti assumiu a gestão. Realização de concursos públicos, pagamento de servidores sem atrasos, implantação do Regime Próprio, evolução na carreira, relação de transparência nos mais diferentes níveis, parcerias que oferecem benefícios aos servidores, atualização de férias vencidas, programas de segurança do trabalho, e criação de indicadores de Gestão de RH foram outros benefícios. 

Entre as ações implementadas ainda em 2017, a Prefeitura destaca a cesta básica no valor de R$ 115,00 por mês, que beneficia 9.970 servidores que recebem salários até R$ 3.318,50. O vale-refeição/alimentação que chega a 20.421 funcionários atualmente é de R$ 495,00.

Outro lado

No início deste mês de maio, o Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública Municipal de Guarulhos (Stap) informou que debateu e decidiu pelo “estado de greve” no município. A deliberação foi feita “em repúdio à proposta da Prefeitura de não reajustar os salários na data-base do funcionalismo, em 1º de maio”.

Segundo o Stap, os servidores aceitam o reajuste de 17% na cesta básica e 10% no VR (vale-refeição), “conforme se chegou nas negociações, mas reivindicam que a Prefeitura corrija os salários pelo ICV (Índice do Custo de Vida) do Dieese.”