Prefeitura de São Paulo libera ponte de acesso da Marginal Tietê à Via Dutra

- Acesso pela ponte foi liberado na tarde desta segunda-feira, 17 - Foto: Leon Rodrigues/SECOM

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, liberou nesta segunda-feira (17) o trânsito na ponte da Marginal Tietê que dá acesso à Via Dutra. A ponte estava totalmente  interditada desde 23 de janeiro, quando foi constatado o rompimento de uma viga.  Segundo a Assessoria de Imprensa da Prefeitura da Capital, as intervenções foram concluídas oito dias antes do prazo previsto, sob a responsabilidade da Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB). O prefeito estava acompanhado dos secretários Vitor Aly (Infraestrutura Urbana e Obras) e Edson Caram (Mobilidade e Transportes).

“Concluímos aqui os últimos cálculos que permitem a gente ter a tranquilidade para devolver essa ponte à população. Agora, com o laudo, nós vamos poder fazer aqui da mesma forma que liberamos o viaduto na Marginal Pinheiros. Realizamos o emergencial e as obras vão continuar, mas o viaduto já está aberto”, explicou Bruno Covas. 

“Nesta ponte, são 1.800 veículos por faixa, por hora. São inúmeros carros que utilizam essa ponte diariamente. Foram gastos R$ 7 milhões e a gente continua o trabalho de avaliação das pontes de São Paulo”, acrescentou o prefeito.

“Ao todo, 16 laudos já foram entregues à Prefeitura e espero em 30 dias poder disponibilizar esses laudos a toda população. E amanhã sai uma nova licitação para outras 17 pontes e viadutos para que possamos fazer esses laudos. Não está andando na velocidade que gostaríamos porque não temos empresas suficientes que executam esse trabalho”, concluiu.

Histórico

O laudo estrutural, que apontava o rompimento da viga de apoio da estrutura no pilar, junto à margem esquerda do rio Tietê, foi emitido pela empresa Concremat Engenharia e Tecnologia S.A. O documento foi enviado à Prefeitura em 22 de janeiro e a SIURB solicitou à Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) a interdição completa da via, garantindo a segurança dos motoristas.

Em 25 de janeiro, a SIURB emitiu a ordem para que a empresa G2O Gerenciamento e Obras Ltda. iniciasse a recuperação estrutural da ponte.  Para avaliar se a via apresentava outras deformações e movimentações após o rompimento da viga, a empresa realizou testes de carga com caminhões na estrutura em 8, 9 e 10 de março.

Para a reabilitação estrutural da ponte foram substituídos os aparelhos de apoio (material localizado entre a cabeça do pilar e a viga) dos pilares 3 e 6, recuperação de fissuras e trincas por meio de injeção de resina e remoção do excesso de argamassa da laje superior do tabuleiro (área onde passam os carros). Também foi executado reforço por protensão (cabos de aço tensionados) nos vãos 4 e 6, aplicação de fibra de carbono para reforço do vão 5 e recomposição das duas juntas de dilatação.

 Para conclusão das edificações, toda extensão da via recebeu nova pavimentação asfáltica, pintura da sinalização horizontal e vertical, e  novo sistema de drenagem. O valor estimado das intervenções é de R$ 7 milhões, custeados pelo tesouro municipal.

MPF cobra da Prefeitura de SP data de entrega da ponte que liga a Marginal à Dutra