Em até 90 dias, a cidade de Guarulhos contará com um novo sistema de Zona Azul (estacionamento rotativo pago), com um total de 2.994 vagas. Dessas, 199 serão destinadas a idosos (5%), 128 para deficientes (2%) e 128 para motocicletas (2%). As demais 2.539 vagas são para o chamado sistema operacional normal que será totalmente digitalizado.

De acordo com a Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana (STMU), o usuário poderá reservar sua vaga por 30 minutos (tempo mínimo), 1 hora (intermediário), ou 2 horas (tempo máximo), por meio de um aplicativo instalado no celular, ou comprando o cartão virtual dos monitores do sistema, que estarão trabalhando nas ruas para atender o público.
Para cada 100 vagas, haverá a cobertura de um monitor. Isso vai proporcionar a geração de 32 novos empregos (30 monitores e dois supervisores). Outra vantagem: o motorista poderá comprar seu ticket do funcionário com cartão de débito ou crédito.

O sistema digitalizado irá impedir que o usuário fique estacionado por 2 horas e, depois desse tempo, tire o veículo do local e estacione em uma região próxima. A leitura das placas irá impedir a compra de uma nova vaga na Zona Azul. A distribuição das 2.994 vagas vai acontecer da seguinte forma: 1.743 na região central, 733 na região do Bosque Maia, 215 no Macedo, 170 na Vila Galvão e 133 no Bom Clima.

A implantação só é possível em razão da aprovação do projeto lei 2.395/2018, de autoria do Executivo, pela Câmara Municipal, em sessão extraordinária de 21 de agosto.

Devolução de créditos

A STMU ainda esclarece que não houve rompimento de contrato com a Serttel (empresa que administrava os serviços da Zona Azul na cidade). A contratação foi feita por um período de cinco anos, com possibilidade de prorrogação por mais cinco (o que aconteceu). Mas ao final desse período, sob o ponto de vista legal, não poderia mais ser prorrogado. Por esse motivo, a saída da empresa foi inevitável.
Em relação aos créditos adquiridos pelos consumidores no período em que o serviço da Zona Azul esteve desativado, todos vão ser ressarcidos, pois eles não expiraram. Continuam válidos e assim que o processo de licitação estiver concluído, com a contratação da nova empresa, eles poderão ser utilizados normalmente pelos usuários do sistema.