Presidente diz que manifestantes de hoje são “idiotas úteis”

Em Dallas, nos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro disse que são “idiotas úteis” os manifestantes que protestam nesta quarta-feira (15) contra o contingenciamento de verba para as universidades federais. 

“É natural, é natural. Agora… a maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 x 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil”, disse.

De acordo com Bolsonaro, a notícia de que haverá cortes na educação é falsa. Segundo ele, o governo congelará recursos para que possam ser utilizados quando houver folga fiscal, ou seja, dinheiro.

“Não existem cortes. Nós temos um problema que… Eu peguei um Brasil destruído economicamente também. Então as arrecadações não eram aquelas previstas de quem fez o orçamento no corrente ano e se não houver contingenciamento, eu simplesmente entro de encontro, né, à lei de responsabilidade fiscal? Então, este mês não tem dinheiro. É o que qualquer um faz. Não tem, tem que contingenciar. Agora gostaria que nada fosse contingenciado. Gostaria, em especial, educação”, afirmou.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse hoje na Câmara dos Deputados que as informações sobre a redução de verbas da Educação foram distorcidas. “O bloqueio preventivo realizado nos últimos dias atinge apenas 3,4% do orçamento total das universidades federais”, afirmou.

Governo não voltará atrás, diz Onyz Lorenzoni

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, defendeu o contingenciamento de recursos no Ministério da Educação e disse que o governo não voltará atrás na decisão. Afirmou que houve muita confusão entre os significados de cortar e contingenciar recursos, que, segundo ele, é o que o governo fará. 

“Quando a gente está na nossa casa e a entrada de recursos não está boa ou o volume de gastos está muito alto, o que a gente faz? Segura. Nega o tênis para o filho, não vai no restaurante, toma uma sopinha no domingo à noite, nega a pizza. O governo tem que ser rigorosamente igual”, comparou. Onyx falou com jornalistas na Câmara dos Deputados após acompanhar os esclarecimentos dados pelo ministro da Educação.

Bolsonaro viajou aos Estados Unidos para receber uma homenagem da Câmara de Comércio Brasil-EUA.

Com informações da Agência do Rádio Mais