A deputada federal Renata Abreu, presidente nacional do Podemos (novo nome do antigo PTN), percorreu diversos locais de Guarulhos na quinta-feira, 21, e incluiu visita à Redação do portal Click Guarulhos. Em outras entrevistas que concedeu, estava acompanhada do vereador João Dárcio, presidente local do partido e vice-presidente da Executiva estadual. No entanto, quando ela esteve no Click, ele estava participando da sessão da Câmara Municipal.

Renata cumpre o último ano de seu primeiro mandato parlamentar. Embora faça parte de uma família de políticos, só em 2014 disputou eleição pela primeira vez. Antes, administrava o Centro de Tradições Nordestinas (CTN), em São Paulo. fundado por seu pai, José de Abreu.

Já no primeiro ano de mandato, ela se notabilizou por criar um blog, no qual descreve como são as atividades nos bastidores do Congresso Nacional. Em uma de sua postagens, revelou que muitos deputados votam projetos cujo conteúdo desconhecem; eles são abordados por pessoas que pedem apoio às proposituras. Por isso, algumas propostas esdrúxulas acabam sendo aprovadas.

Ela se diz confiante na reeleição para mais um período como representante do povo paulista na Câmara dos Deputados. De sua atuação destaca a participação na discussão da Reforma Política e como membro de comissões que buscam elaborar um novo projeto político para o Brasil. “Entendo que é essencial uma mudança na cultura política, implantando uma Democracia Representativa de fato, com práticas de participação popular nas decisôes”, comenta. Como exemplo, cita que pelo aplicativo Podemos os eleitores podem definir como a bancada do partido deve votar em projetos polêmicos. “O nome do nosso partido não é apenas uma marca, mas a definição de que de fato a decisão é da população, que tem efetivamente poder de decidir como devem votar os representantes que elegeu”.

Renata Abreu defende projeto que visa a vincular o salário dos professores da rede pública a 7% do maior salário pago em cada Estado. “Não dá para determinar que o governador ou que o presidente do Tribunal de Justiça ganhe valor “a” ou “b”, mas, para que os cargos mais elevados sejam reajustados, os salários dos professores o seriam na mesma proporção. Ou seja, se aprovado, isso inibirá aumentos abusivos aos ocupantes de algumas funções.

Ela destaca o progresso que conseguiu à frente do Podemos, na estruturação do partido. Em 2014, foram eleitos apenas quatro deputados federais. Agora são 17, sendo quatro apenas do estado de São Paulo. No Senado, agora são cinco seus representantes, sendo a quarta maior bancada da Casa. Renata confia que esse número cresça em 2018, pois o Podemos conta com Romário como candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro, e Mário Covas Neto por São Paulo.

Demonstra confiança também no crescimento da candidatura de Álvaro Dias para a Presidência da República. “É um nome que foge ao estereótipo do político que o povo condena. Pouca gente o conhece, mas a televisão irá torná-lo conhecido positivamente. Não há nada que manche sua imagem; tem uma conduta coerente com o que fala. A tal ponto que no Paraná há um acordo informal de praticamente todos os candidatos a governador de apoiar Álvaro Dias para presidente. Ou seja, quem conhece sua capacidade vota nele. Eu acredito que ele tem tudo para crescer, ir para o segundo turno e vencer”, afirma.

Em Guarulhos, Renata Abreu terá como parceiro João Dárcio, que é pré-candidato a deputado estadual. Para o governo de SP, o Podemos apoia Márcio França. Indagada como fica a situação do governador paulista, que tem compromisso com Geraldo Alckmin, ela respondeu que crê que França irá decidir-se por Álvaro Dias. “Se o Alckmin está com Dória, o caminho natural é Márcio ficar com Álvaro”, opinou.

Márcio França é filiado ao PSB, partido que em nível nacional tende a apoiar o candidato do PDT, Ciro Gomes. Mas, dadas as circunstâncias das candidaturas locais, deve permitir que sejam fechados apoios regionais diferentes.