Procurador atribui ao PP desvio de R$ 358 milhões na Petrobras

No âmbito da Operação Lava-Jato, os indiciamentos recaíram até agora apenas sobre pessoas físicas. Mesmo havendo holofotes em desvios que teriam beneficiado o PT e PMDB, os partidos ainda não foram esquadrinhados. O primeiro filtro mais apurado recai, porém, sobre o PP (Partido Progressista).

Denúncia contra o deputado Nelson Meurer (PP-PR) foi apresentada ao Supremo Tribunal Federal pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Ele sustenta que os mecanismos de corrupção postos em prática na Petrobras permitiram ao PP apoderar-se de R$ 358 milhões, lançados como doações legais de campanha, mas oriundos de propinas, na realidade.

Parte preponderante dos valores teriam transitado pelo doleiro Alberto Youssef, figura-chave do esquema. O dinheiro chegava aos beneficiários por diversas formas: em espécie, por meio de transferências bancárias, remessas ao exterior e em pagamento de propriedades.