Profissionais que têm curso técnico ganham até 17% a mais que pessoas que apenas terminaram o Ensino Médio

Esse ganho é ainda maior para profissionais do Nordeste, onde o percentual sobe para 21,7%

O ensino profissional e técnico tem sido encarado com bons olhos por quem quer se reposicionar e conquistar uma vaga no mercado de trabalho brasileiro. Para se ter uma ideia, aqui no país, profissionais que fizeram cursos técnicos ganham, em média, 17,7% a mais do que pessoa com perfis semelhantes e que terminaram apenas o ensino médio. Esse ganho é ainda maior para profissionais do Nordeste, onde o percentual sobe para 21,7%. 

No Brasil, o Serviço Social da Indústria (SESI) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) atuam justamente para ajudar a indústria brasileira a ser mais competitiva por meio de ações que aumentam a produtividade das empresas. Os serviços fazem parte do chamado Sistema S, conjunto de nove instituições de interesse de categorias profissionais, que atuam para melhorar a produtividade da mão de obra, além de oferecer serviços culturais e de lazer. 

Por reconhecer a importância do Sistema S, o deputado federal Júlio César (PSD-PI) ressalta que as instituições são fundamentais na geração de oportunidades profissionais, principalmente entre os mais pobres. “Sei a importância que o Sistema S tem na qualificação da mão de obra, e sei o tanto quanto é importante a qualificação da mão de obra para que as empresas possam utilizar gente preparada, com conhecimento, inclusive com conhecimento técnico”, opina ele.

Em 2018, o SESI registrou mais de um milhão de matrículas em educação básica. Cerca de 3,5 milhões de pessoas são beneficiadas com serviços de saúde e segurança da instituição, que possui mais de 500 escolas pelo País.

Já o SENAI registrou mais de 2,3 milhões de matrículas em cursos técnicos e profissionais, além de fazer parceria com mais de 19 mil empresas de serviço técnico e tecnológico.

Na opinião do economista e especialista em educação Cláudio de Moura e Castro, que passou por órgãos como a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e o Banco Mundial, o SENAI oferece um ensino próximo ao de escolas de países avançados.

“Uma coisa me chamou a atenção. Eu vi nenhuma escola de país em desenvolvimento que chegasse próximo das escolas do SENAI. Pelo contrário, essas escolas estão praticamente no mesmo nível daquelas escolas que a gente admira nos países avançados”, elogiou. 

O Serviço Social da Indústria (SESI) conta com 505 escolas, 114 unidades de vida saudável e 539 unidades móveis de educação básica pelo Brasil. O SESI também tem uma rede de escolas que beneficia 1,2 milhão de jovens com educação básica.

Já o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) oferece cursos profissionais para 28 áreas da indústria brasileira. Desde 1942, o SENAI formou cerca de 73 milhões de trabalhadores no Brasil com as ações de qualificação profissional.

*Com informações da Agência do Rádio Mais