Projeto do Baquirivu ficou só na promessa

É incrível a capacidade do setor público de fazer previsões e promessas que nunca se concretizam.

Em 2014, o DAEE, órgão do governo estadual (PSDB), divulgou vídeo (acesse aqui), mostrando a maravilha que seria o Programa Baquirivu-Guaçu, com a construção de diversas bacias de contenção, chamadas popularmente de piscinões.

Além de ajudar no combate a enchentes, esses reservatórios teriam em seu entorno áreas de lazer, com ciclovias e passeios. Esse programa faria parte do chamado Parque Linear do rio Tietê, projeto que propõe uma radical transformação de toda a várzea ao longo do rio, integrando as regiões ribeirinhas ao Parque Ecológico do Tietê.

Passados dois anos, agora o DAEE cogita lançar a licitação para o segundo semestre deste ano.

Para que os projetos que não saem do papel não privilégio do governo estadual, no vídeo são citadas as estações de tratamento de esgotos de Guarulhos, construídas pela Prefeitura local (PT). Ao comparar sonho e realidade, sabe-se que, embora as estações estejam prontas para tratar os dejetos, não estão em funcionamento os coletores-tronco e, como resultado, apenas cerca de 5% do esgoto da cidade são tratados.

Enquanto Estado e Município trocam acusações e farpas, o povo, que os sustenta, sofre as consequências: enchentes causam todo tipo de prejuízo aos munícipes e os rios continuam poluídos, pois são esgotos a céu aberto.

Valdir Carleto