Reboot de série dos anos 2000 chega na Netflix

por Kreitlon Pereira, da coluna VS

A Netflix disponibilizou no seu catálogo “Queer Eye”, um “reboot” do famoso reality show “Queer Eye for the Straight Guy”. A série original, que teve cinco temporadas televisionadas pela emissora norte-americana Bravo entre 2003 e 2007, ganhou diversos prêmios – inclusive o Emmy de melhor reality show, em 2004.

Em oito episódios de aproximadamente uma hora, a nova produção original da Netflix acompanha cinco amigos homossexuais conhecidos como “The Fab Five” (os cinco fabulosos). Cada um deles é especialista em uma área diferente. Bobby Berk se responsabiliza pelo design, Antoni Porowski pela gastronomia, Karamo Brown pela cultura, Jonathan Van Ness pelos cuidados pessoais e Tan France pela moda. Cada episódio mostra os esforços da divertida equipe para mudar o estilo de vida daqueles que os convocaram. Para isso, utilizam as múltiplas habilidades de cada um para recriar o cotidiano das pessoas. Uma grande diferença em relação à série anterior está explícita no próprio título. A nova temporada não limita sua atuação transformadora apenas aos homens heterossexuais, como era a produção original. Além disso, a mudança de cenário polemiza ainda mais a série ao trocar a cosmopolita Nova Iorque pelo conservador Sul dos Estados Unidos.

A produção de quinze anos atrás teve que lidar com um mundo bem menos tolerante. Alguns dos membros originais nem eram declaradamente homossexuais quando foram selecionados para participar do reality show. Agora, a equipe tem mais liberdade para falar sobre suas vidas pessoais dentro do programa, trazendo à tona seus namorados, filhos e casamentos. Algo que não seria possível na década passada, quando a união entre pessoas do mesmo sexo nem era legalizada nos Estados Unidos. Nesses tempos em que anacrônicos discursos de ódio e intolerância ganham força no cenário mundial, a nova produção herda a importante tarefa de combater velhos preconceitos.