Foto de Ivanildo Porto

A sessão da Câmara Municipal desta quinta-feira, 10, foi tumultuada. O assunto que mais repercutiu entre os parlamentares foi o requerimento protocolizado pelo pré-candidato à Prefeitura Maurício Siqueira (Solidariedade), para cassação do prefeito Sebastião Almeida.

O documento levanta três denúncias de improbidade administrativa: a primeira, com base na rejeição das contas públicas pelo Tribunal de Contas desde 2005; a segunda, em função da destinação dos Fundos Municipais para pagamento de servidores; e a terceira motivada pelo suposto desvio de R$ 108 milhões do PAC, em 2012, para cobrir uma dívida municipal de R$ 94 milhões.

O vereador Geraldo Celestino (PSDB) afirmou que é necessário ter cautela antes de assinar o documento. “Não podemos acatar a denúncia sem analisar”. Celestino propôs a criação de uma comissão para apurar se as acusações são verdadeiras. O presidente da Câmara, Prof. Jesus, avaliará o pedido nos próximos cinco dias.

Marisa de Sá (PT) repudiou as acusações levantadas pelo pré-candidato, já que a prestação de contas do Executivo é avaliada anualmente pelo Legislativo. “Isso é mais uma tentativa de golpe”, declarou.