Sinopse

“Quando um corpo é encontrado na floresta com sinais de tortura e sadismo, o detetive Sean Corrigan entra na investigação. Ele sabe que está atrás de alguém que tem o estranho prazer de sequestrar as mulheres e as manter em cativeiro, antes de matá-las.
O assassino, um homem obcecado, busca em cada mulher que sequestra ao menos uma sombra da ‘garota de seus sonhos’. Mas parece que nenhuma delas chega aos pés da mulher perfeita que ele almeja. No dia que ele a encontrar, será para sempre. Mesmo que ela não queira.

Resenha de “Sombrio”

“Sombrio” é o segundo livro da série do Detetive-Inspetor Sean Corrigan, de Luke Delaney. Confesso não ter lido o primeiro – ainda – mas apesar de ser continuação de “Brutal” e ter diversas relações com o seu antecessor, li de forma ‘independente’, sem precisar ficar amarrado ao primeiro – o que achei fantástico. Claro que um ou outro detalhe demora um pouco para entender que se trata de um acontecido.
Esse thriller eu recomendo para todos que apreciam o gênero policial. É sensacional. Da primeira a última página o autor me deixou preso, ansioso para saber o desdobramento da história. Destaque fica para a narrativa clara, ligeira, porém detalhista do autor, que soube impor o psicológico necessário para nos fazer entrar ora na mente perturbada do assassino, ora na analítica do detetive ou infelizes vítimas. Essa alternação da narrativa fica evidente e o leitor pode se aprofundar nos sentimentos e emoções que os personagens estão passando quase que no mesmo instante. A sensação de terror em certos momentos faz arrepiar.
Os personagens foram muito bem-criados. Sean é um ótimo policial, sensitivo na hora de desvendar os mistérios. Mas quando o assunto é família, ele é um terror. Temos Sally, parceira do detetive que carrega traumas após ser vítima também de um louco.
Thomas Keller é foi vítima de abusos na infância e carregou esses traumas por toda a vida. Com artifícios de seu emprego para entrar na casa das vítimas, ele as rapta e as deixa presas em uma espécie de jaula, no porão da sua casa. No início, o tratamento é de o de uma ‘dama’. Depois, abusos sexuais e a violência desenfreada se inicia. É necessário substituir a errada. Então, todo o processo é repetido, diminuindo cada vez mais o espaço de tempo – das vítimas e do inspetor Sean.


Em “Sombrio” temos a oportunidade de acompanhar todos os detalhes da investigação do crime, desde o porta a porta, análise das provas até a consumação da prisão. O modo sensitivo para tratar das evidências que Corrigan usa, permite ao leitor entender também como funciona a ‘cabeça’ do criminoso. Claro, perdemos um pouco na questão surpresa em querer descobrir, desconfiar, ‘chutar’ quem é o autor dos crimes, uma vez que não é mistério quem é o assassino. Mas isso não chega a incomodar, porque a proposta do livro é outra.
A edição publicada no Brasil pelo selo Fábrica 231, da Rocco, é simples. A capa ficou bonita, tem tudo a ver com a trama. Orelha, páginas amareladas. Nada mais. Depois de ler “Sombrio”, você terá de pensar duas vezes antes de atender estranhos, mesmo que eles aparentem cumprir somente a sua função.
Já estou ansioso pela continuação da série, além de já ter encaixado o primeiro para leituras obrigatórias deste ano. Para quem é amante dos livros de suspense e investigação policial, “Sombrio” de Luke Delaney mais do que merece estar na cabeceira da sua cama, é um livro fantástico.