Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar. Vamos dar a meia volta, volta e meia vamos dar…”. Qual adulto não lembra com saudade dos tempos de infância e das brincadeiras na rua, com os pés descalços, com a molecada da vila? Bem sabemos que toda criança precisa de descanso e as férias escolares devem ser respeitadas e não transformadas em uma maratona de atividades, mas, que tal aproveitar este período para o resgate de brincadeiras antigas e se divertir ao lado de seu pequeno, ensinando a ele uma atividade lúdica, diferente e longe das telas de TV, smartphones e tablets?

De acordo com a educadora e empresária Edna Lemes, do Espaço Lúdico na Casa da Vovó, as inocentes cantigas, cirandas e jogos, que também fazem parte da cultura e características de cada lugar, são importantes meios de socialização e interação entre amigos e famílias, bem como, colaboram no desenvolvimento de valores como a solidariedade, trabalho em grupo por meio da cooperação, respeito, justiça, simpatia e apreço entre a criançada. “O bom de resgatar estas brincadeiras é que elas são inocentes e não competitivas. O lúdico não requer habilidade e sempre envolve alegria e satisfação”, diz Edna.

Outro papel importante das brincadeiras antigas é permitir que a criança entenda que brincar não é apenas atuar nos jogos, mas também participar da construção do brinquedo, o que desenvolve habilidades como a criatividade, pois improvisar brincadeiras usando meias usadas, latas vazias, garrafas pet, retalhos, entre outros, é uma “arte” que muito adulto deve lembrar. Nesse contexto, as atividades trabalham ainda outras capacidades como percepção motora e equilíbrio. Para a educadora, o relaxamento e a saúde, de modo geral, também são contemplados.

“A criança faz atividade física e nem percebe. Há a promoção da saúde e muita descontração, pois é um momento em que ela pode ser ela mesma, sem restrições, sem os padrões exigidos por nossa sociedade. Como não são competitivas e não requerem habilidades, fica muito mais fácil. Desenvolve coordenação, melhora a condição física e aproxima a família”, declara.

Relembre algumas atividades que podem ser ensinadas aos pequenos, e praticadas na casa de campo, na praia, no playground do prédio e até mesmo dentro de casa, dependendo da atividade, e que podem ser realizadas em duplas, trios, quartetos, ou de acordo com a quantidade de crianças. O importante é que todos participem, aprendam e se exercitem ao lado dos amigos e familiares.