Em 2009, quando decidimos lançar uma revista semanal em Guarulhos, sabíamos que tínhamos pela frente um grande desafio. Entendemos, no entanto, que alguém precisava fazê-lo e que, se ninguém havia se disposto a tal até então, nós deveríamos fazê-lo, tendo em vista nossa extensa trajetória no mercado editorial e publicitário da cidade, desde a quixotesca aventura que marcou a fundação do Jornal Olho Vivo, em 1981.

O lançamento da Weekend foi uma declaração de nosso amor à cidade. Muito bem recebido pelos leitores, encontrou apoio imediato de anunciantes de diversos ramos. O objetivo sempre foi o de mostrar ao guarulhense tudo que a cidade oferece e muitos desconheciam: incentivamos a frequentar eventos culturais e a prestigiar o comércio local, cada vez mais com melhores e mais diversificadas alternativas, principalmente no que se refere à gastronomia. Sucesso total.

Inicialmente, a revista era impressa em papel LWC em formato tablóide. Em 2011, a medida de bobina de papel que utilizávamos passou a ficar rara e éramos obrigados a adquirir um formato maior e a desperdiçar centenas de quilos de papel a cada edição, o que contrariava o bom senso tanto do ponto de vista econômico quanto ecológico. Tivemos de tomar a corajosa atitude de mudar o formato da revista e, para compensar, passamos a imprimi-la em papel couchê. Embora tivemos receio da reação das pessoas, a aceitação foi excelente.

Ao longo de mais de 7 anos, a Weekend circulou semanalmente, com 50 edições por ano. Chegou a ter 18 mil exemplares e a tiragem sempre pôde ser conferida pelos anunciantes. As circunstâncias obrigaram-nos a reduzir para 15 mil e depois para 13 mil, o que foi comunicado oficialmente aos anunciantes, com as devidas explicações.

O crescimento das redes sociais e o contínuo declínio da mídia impressa em todo o mundo, ao mesmo tempo em que a crise na economia brasileira se agravava, afastaram muitos anunciantes que eram fieis à revista. No início de 2017, fomos forçados a passar a editar a Weekend quinzenalmente, com a consequente redução no quadro de funcionários. Mesmo assim, os prejuízos avolumaram-se, ficando cada vez mais difícil manter a pontualidade nos pagamentos, o que sempre foi para nós questão de honra.

Historicamente, os primeiros meses de cada ano são complicados em nossa atividade. Depois da Páscoa, costumava melhorar. Em 2018, porém, a cada mês o faturamento passou a ser menor. Nas edições mais recentes, a receita mal cobriu a despesa com impressão.

Diante desse quadro, só nos resta interromper a sequência de edições da Weekend, o que fazemos com imensa tristeza, que certamente será sentida pelos nossos fieis leitores e por muitos dos nossos anunciantes, que se tornaram amigos ao longo dessa jornada de quase 9 anos.

Temos certeza de que fizemos o melhor que estava ao nosso alcance e de que a Weekend prestou inestimável serviço à coletividade, auxiliando a ampliar a clientela de inúmeros estabelecimentos, a difundir a cultura e informações importantes para as famílias que nos acompanham, além de ajudar a solucionar muitos problemas apontados pela população, cobrando das autoridades o cumprimento das tarefas que lhes cabem.

Novas edições da Weekend poderão ser produzidas em datas especiais ou quando houver condições favoráveis para que isso ocorra. Não podemos, no entanto, nos afastar da linha de conduta que nos caracterizou desde que iniciamos nessa atividade, pois consideramos imprescindível a independência para o exercício do Jornalismo.
Seguiremos editando a RG – Revista Guarulhos, que há mais de 15 anos circula ininterruptamente na cidade, e o portal de notícias Click Guarulhos, que em menos de três anos notabilizou-se como canal de prestação de serviços à população, com atualização constante, versatilidade editorial e firme posicionamento contra desmandos de todos os tipos.

Queremos expressar nossa imensa gratidão a todos os leitores e anunciantes que caminharam conosco durante essas 400 edições, especialmente os que contribuíram sugerindo pautas e a todos que participaram como fontes de informações nas reportagens. Também aos nossos colaboradores, tanto os atuais quanto os que por aqui passaram e seguiram em busca de novos desafios.

O momento é de tristeza, mas também de regozijo, pois vocês todos nos ajudaram a escrever uma história de sucesso na Imprensa guarulhense.

Muito obrigado.

Valdir Carleto e Fábio Carleto