Sabesp renova sistema das ETAs de Guarulhos para melhorar qualidade e distribuição da água

Click Guarulhos visitou nesta quarta, 5, a Estação de Tratamento de Água do Núcleo Cabuçu - Foto: Alexandre de Paulo

A Sabesp, que assumiu em janeiro deste ano o abastecimento de água em Guarulhos e tem investido na renovação do sistema de distribuição na cidade, segue com o objetivo de cumprir a meta de garantir o atendimento total da população até o aniversário da cidade, em 8 de dezembro. A Companhia tem realizado melhorias nas Estações de Tratamento de Água (ETAs) do Tanque Grande e Cabuçu, que atualmente produzem, juntas, 360 litros de água por segundo. Em janeiro a produção era de 285 l/s, ou seja, houve um aumento de 75 l/s. 

Para a Sabesp, “grandes números significam moradores transformados com a entrega de água de qualidade nas torneiras. Esses fatores são essenciais para que as pessoas tenham mais saúde, melhor desempenho escolar e mais conforto.” 

“Até o dia 8 de dezembro vamos concretizar a regularização do abastecimento. Todo guarulhense será abastecido e não sofrerá com o rodízio. Estamos atuando desde dezembro e hoje já são 900 mil pessoas que não sofrem mais com rodízio. Temos obras por toda a cidade, é um trabalho árduo, mas com muitos avanços”, ressaltou a superintendente da Sabesp na Unidade de Negócio Norte, Debora Pierini Longo.

Debora Pierini Longo, superintendente da Sabesp na Unidade de Negócio Norte – Foto: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos

Segundo a Companhia, a ETA Tanque Grande é responsável por enviar água para os sistemas Fortaleza e Bananal. Já a Cabuçu abastece os sistemas Continental e Cizanea, além de auxiliar –quando preciso – o abastecimento da região do Cidade Martins. “Hoje a Tanque Grande tem produzido 100 l/s de água. Em janeiro o volume era de 65 l/s. O aumento foi possível basicamente pelo investimento na limpeza dos decantadores e na remoção das placas danificadas dos floculadores, que possibilitaram o aumento da vazão da água”, explicou. 

Já a ETA Cabuçu produz 260 l/s e em janeiro o volume era de 220 l/s, a expectativa é que em alguns meses esse número aumente para 300 l/s. Os trabalhos realizados nessa estação foram a restauração do leito filtrante e a melhoria no sistema de recuperação de água. A Sabesp também adquiriu dois equipamentos chamados Sopradores – que serão responsáveis por realizar a retrolavagem com ar dos filtros corrompidos e assim ajudar no aumento da vida útil destes equipamentos. Depois que a ETA estiver utilizando toda a sua capacidade, a produção de água no Cabuçu poderá atingir o patamar de 300 l/s. 

Estação de Tratamento de Água do Núcleo Cabuçu – Foto: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos

“O trabalho em equipe da Sabesp com a SAAE conseguiu aumentar a vazão das ETAs e assim garantir maior regularidade no abastecimento para a população”, explica André Góis, gerente de Departamento de Tratamento de Água Metropolitana da Sabesp. 

André Góis, gerente de Departamento de Tratamento de Água Metropolitana – Foto: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos

Tratamento da água 

As Estações de Tratamento de Água (ETAs) transformam água bruta em água potável (tratada e pronta ao consumo humano). Os processos são: (1) Captação de água bruta das represas; (2) Coagulação e floculação: controle da agitação da água para que as partículas possam encontrar o coagulante e o cloro. O cloro cuida dos microrganismos e o coagulante no que confere cor e turbidez para água; (3) Decantação: é a separação do líquido do sólido que propicia a clarificação da água; é nessa fase que a camada de lodo é formada no fundo, precisando ser removido periodicamente; (4) Filtração: onde as partículas mais finas e leves, que não foram retidas nos decantadores, são removidas da água; (5) Desinfecção e fluoretação: eliminação dos microrganismos que possam transmitir doenças e aplicação de 
flúor com o objetivo de prevenir a perda de minerais do esmalte dos dentes, deixando-os mais resistentes à ação de agentes nocivos; (6) Análise de qualidade: análise das características físicas, químicas e biológicas da água, verificando se está dentro do estabelecido pela legislação sanitária federal.

Restauração do leito filtrante proporcionou a melhoria no sistema de recuperação de água – Foto: Alexandre de Paulo

  *Com informações da Assessoria de Comunicação da Sabesp