Secel responde sobre polêmicas da Virada Cultural em Guarulhos

Banda Francisco, El Hombre em apresentação na Virada em Guarulhos, no Parque Transgarulhense. Foto: Fabio Nunes Teixeira

Na sexta-feira passada, o Click Guarulhos publicou matéria sobre a polêmica da Virada Cultural Paulista em Guarulhos. Nela, algumas dúvidas foram levantadas e, por isso, contatamos a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secel) para respondê-las. Confira:

  1. Se o GT indicado para a curadoria da Virada Cultural em Guarulhos não fez a curadoria, quem fez junto à SECEL?  E quais foram os critérios de escolha?

A Curadoria dos artistas que participaram da Virada Cultural Paulista em Guarulhos foi feita pela APAA. Com relação aos artistas locais, a escolha foi realizada por uma equipe da Cultura, que considerou aspectos como a diversidade de linguagens oferecidas pelos espaços, contemplando somente artistas da cidade.

 

  1. Como divulgado pela Secel, 401 artistas se inscreveram para a Virada; em contrapartida, artistas descontentes com a curadoria e a forma voluntária que lhes foi oferecida criaram um manifesto com quase 200 assinaturas, além da Virada Clandestina. O que a Secel tem a dizer a respeito?

Com relação aos artistas que se manifestaram contrários ao evento, a Prefeitura informa ainda que respeita plenamente o direito à livre manifestação e que está trabalhando firmemente, pois entende a necessidade de abertura de diálogo com os artistas para uma melhor política de cultura na cidade.

 

  1. O que têm a dizer sobre o ocorrido com a dançarina de flamenco Gisele S. Souza (http://encurtador.com.br/bhR46)? O que houve que não tinha nada na tenda do Bosque Maia?

Foi apurada a ocorrência de um problema técnico-operacional com a dançarina de flamenco Gisele Souza, que por conta de falta de infraestrutura relacionada à montagem do palco, ficou impedida de realizar sua apresentação. Em pronto contato com a artista, a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer ofereceu espaço para uma futura apresentação, divulgando a contento seu trabalho.

 

  1. O diretor Tiago Ortaet participou da Virada Cultural em Guarulhos com Contação de Histórias na Viradinha Cultural e  com sua Trupe Ortaética, Recepção do Cortejo Lúdico-Teatral, ambas no Adamastor Centro . Essa participação é legal, do ponto de vista jurídico?

Não apenas o diretor de Cultura Tiago Ortaet como outros 300 servidores participaram de forma voluntária da Virada Cultural. A referida apresentação, realizada fora do horário de trabalho e em caráter voluntário, objetivou somente oferecer aos participantes da Viradinha Cultural um momento de contação de histórias.

O diretor Tiago Ortaet em atividade na Viradinha Cultural. Foto Márcio Lino-PMG

 

  1. Qual o saldo da primeira Virada Cultural Paulista em Guarulhos? Quais os erros e os acertos da gestão?

A Prefeitura avalia que o evento foi um grande sucesso e conseguiu cumprir seu principal objetivo: disseminar e democratizar a cultura, principalmente para as regiões mais periféricas da cidade, alcançando cerca de 55 mil munícipes. A equipe da SECEL, responsável pela Virada Cultural Paulista em Guarulhos, continua se empenhando em fazer ampla avaliação dos aspectos positivos e negativos do evento, levantando propostas para as próximas edições.

 

Segundo a Prefeitura, Mais de 55 mil participam da Virada Cultural em Guarulhos.