Secretário de Educação afirma que São Paulo não irá adquirir livros em 2015 e 2016

Luís Antonio Torelli, presidente da Câmara Brasileira do Livro, participou de audiência com Herman Voorwald, secretário de Educação de São Paulo, para questionar a decisão do Governo do Estado de cancelar as compras de livros para escolas estaduais.

O secretário de Educação foi o único representante do setor público que recebeu a CBL. A entidade solicitou reuniões com representantes de outros entes federativos, que também cancelaram aquisições de livros, inclusive o ministro da Educação, que ainda não deu retorno ao pedido.

Herman garantiu que a Secretaria de Educação de São Paulo está com severas restrições orçamentárias e que a verba só é suficiente para merendas e transporte dos alunos. Além de afirmar que a Secretaria não irá adquirir livros em 2015 e 2016, o secretário disse que neste período não acontecerá reposição de exemplares antigos.

O encontro aconteceu ontem, 15. A Câmara Brasileira do Livro argumentou que os jovens das escolas públicas estaduais não podem ser privados do acesso aos livros, tão essenciais à sua formação e à constituição de uma sociedade mais bem informada e mais preparada para lidar com os desafios contemporâneos.

Apesar dessa política de contingenciamento, a entidade continuará cobrando os órgãos Municipais, Estaduais e Federais.  “Cortar compra de livros que seriam distribuídos para escolas e bibliotecas em nome da crise é inadmissível. É justamente na crise que setores como educação e saúde precisam ser preservados. Lamentável”, destacou Torelli, presidente da CBL.

Nota do Click: Um questionamento foi enviado para a Secretaria de Educação. Assim que que obtivermos mais informações, publicaremos a resposta.