Sequestrador de ônibus na Ponte Rio-Niterói é morto por atirador de elite do Bope

Sequestrador, escondendo o rosto e com um rádio comunicador na mão, desce do ônibus por alguns segundos - Reprodução

O porta-voz da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro, coronel Mauro Fliess, confirmou que o sequestrador que fez 37 reféns no início da manhã desta terça-feira, 20, em um ônibus na Ponte Rio-Niterói, foi morto por um atirador de elite.

Tiros foram ouvidos no local por volta das 9h. Pelo Twitter, a PM informou que a ocorrência foi encerrada sem vítimas entre os reféns. “O tomador de refém foi neutralizado por um atirador de precisão do #Bope [Batalhão de Operações Policiais Especiais] e todos os reféns foram libertados ilesos”, postou a corporação.

O sequestro começou pouco antes das 6h e interditou a ponte nos dois sentidos. Até as 9h, o sequestrador havia liberado seis reféns. Segundo as primeiras informações o sequestrador estava armado e se identificou como policial militar.

A polícia informou que a arma usada por ele era um simulacro, ou seja, uma “arma de brinquedo”. A ponte permanece interditada.

Governador do Rio disse priorizar proteção dos reféns do ônibus

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, se pronunciou em sua conta no Twitter sobre o sequestro do ônibus que ocorre desde antes das 6h na Ponte Rio-Niterói. Segundo ele, a prioridade é manter a segurança dos reféns.

“Estou acompanhando desde cedo, com atenção, o sequestro do ônibus na ponte Rio Niterói. Estou em contato direto com o comando da Polícia Militar, que trabalha para encerrar o caso da melhor maneira possível. A prioridade absoluta é a proteção dos reféns”, disse o governador na rede social.

O sequestro começou pouco antes das 6h, com o ônibus sendo atravessado na pista no sentido Rio, na altura do vão central. Um pouco depois de 7h30 a pista sentido Niterói também foi interditada. Minutos antes das 8h mais um homem foi liberado, em troca de uma caixa entregue pela polícia. Não se sabe o conteúdo. Mais uma mulher, que desmaiou em seguida, foi liberada depois das 8h30, totalizando seis reféns liberados.

O Porta-voz da PM, coronel Mauro Fliess, informou que o total de reféns chegou a 37, incluído o motorista do coletivo.

O ônibus executivo, com insulfilme nos vidros, impossibilitava visualizar o interior do veículo. Barcos da Marinha e do Corpo de Bombeiros davam suporte à operação. As negociações com o sequestrador foram iniciadas pela Polícia Rodoviária Federal e depois conduzidas pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar.

Os secretários de Estado de Polícia Militar, Rogério Figueredo, e de Polícia Civil, Marcus Vinícius Braga, acompanhavam a ação da polícia no local da ocorrência e cancelaram a apresentação que fariam às 11h sobre os dados do mês de julho do Instituto de Segurança Pública.

Tuíte do governado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, sobre o sequestro do ônibus na Ponte Rio-Niterói

*Com informações da Agência Brasil

Homem mantém reféns em ônibus na Ponte Rio-Niterói