SERÁ QUE TAMBÉM FUI FILMADO?

A respeito do polêmico vídeo sobre a viagem do vice-prefeito a Miami, esclareço: não defendo um, nem o outro; condeno a arapongagem.

Eu mesmo já devo ter sido muito fotografado, filmado, mas não devem ter obtido algum arquivo que valesse a pena divulgar.

Talvez tenham me fotografado no ponto do ônibus, dentro de um coletivo, andando de táxi ou Uber, dirigindo carro com quase 200 mil km rodados, almoçando um PF de R$ 9,99 na avenida Tiradentes ou um dos muitos restaurantes que anunciam em nossas publicações.

Podem ter me filmado chegando antes das 8h para trabalhar e, dependendo do dia, saindo às 23h.

Quem sabe tenham me flagrado conversando com algum político do PT, do DEM, do PCdoB, do PMDB, do PSC, do PSDB, do PTB, do PDT, do Novo, da Rede, do PSB, do Podemos, do Avante, do PP, do PPS.

Em algum velório, imagino. Tenho ido a vários, infelizmente.

Ah! Em atividades culturais e sociais, muitas, nas quais posso ter sido fotografado abraçando alguém da equipe do prefeito Guti ou ao lado de um partidário de Zeitune.

Pior que isso tudo, acabar de tomar café na padaria com um sindicalista extremista e correr para não chegar atrasado em um compromisso numa grande empresa.

Alguém pode ter me visto entrando em uma Igreja Católica, outro dia em um Centro Espírita e na mesma semana em uma Igreja Evangélica. Em uma segunda-feira, entrando em prédio luxuoso nos Jardins; na terça, em um barraco numa comunidade de Guarulhos.

Se ninguém ainda me fotografou ou filmou nessas inúmeras situações, estão aí as dicas para que o façam e se decepcionem. Terão descoberto que não morro de amores por nenhum partido e nem ponho a mão no fogo por ninguém. Que, graças a Deus, convivo bem com gente de todos os matizes e credos, inclusive com concorrentes, colegas de trabalho e ex-funcionários.

Peço, porém, se fizerem um vídeo a meu respeito: por favor, caprichem na qualidade do material a ser postado. Nada de montagens grosseiras, hein!

E viva a Gestapo guarulhense. Já pode nos servir de ensaio para o Brasil da era Bolsonaro.

Tenho ouvido falar bem do Paraguai. Pode ser uma alternativa a se pensar…