Sessão esquenta na Câmara por causa do PL que cria 1941 cargos comissionados

O Projeto de Lei do Executivo que cria 1941 cargos comissionados esquentou a sessão da Câmara de Guarulhos nesta quinta-feira, 15. O PL foi pra votação e foi decidido que será objeto de deliberação. Agora segue para análise das comissões.

O vereador Lamé (PMDB) defende deliberação. Romildo (DEM) discursa propondo adiar, deixar o prefeito eleito Guti (PSB) assumir sem cargos comissionados e depois apresentar PL criando os que forem necessários. O vereador Laércio Sandes (DEM), vice-presidente da Casa, também é contra o PL. A petista Genilda propôs apresentar emenda que reduz em 30% o número apresentado.

A aprovação da lei é um problema para Almeida que tornou-se réu em processo que tramita no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) por crime de responsabilidade por conta de leis inconstitucionais que criavam cargos comissionados entre janeiro de 2009 a abril de 2016. Sem o projeto, o prefeito eleito Guti (PSB) tomará posse no dia 1° de janeiro e terá esse como um dos primeiros problemas a ser enfrentado por sua gestão.

O PL recria os 1941 cargos da estrutura do Poder Executivo, sendo: 31 cargos de assessor executivo do prefeito, 170 de assessor de gabinete de prefeito, 200 de assessor executivo de secretario, 230 de assessor de secretário, 260 de assessor executivo de diretor e 1050 de assessor regional.