Veja quantas pessoas já morreram por febre amarela

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo atualizou hoje, 9, para 13 o número de pessoas mortas por contrair febre amarela, no estado desde o ano passado.

Desse total, três ocorreram na região metropolitana. No Hospital das Clínicas, uma mulher infectada pelo vírus permanece internada em estado grave.

De 2017 até  agora foram registrados 29 casos autóctones de febre amarela silvestre confirmados no Estado e os casos que evoluíram para óbito ocorreram nos municípios de Américo Brasiliense, Amparo, Batatais, Monte Alegre do Sul, Santa Lucia, São João da Boa Vista, Itatiba, Mairiporã e Nazaré Paulista. Houve ainda casos de transmissão sem morte nas cidades de Águas da Prata, Campinas, Santa Cruz do Rio Pardo, Tuiti, Mococa/Cassia dos Coqueiros, Jundiaí e Mairiporã.

Em comunicado a Secretaria destaca que não há casos de febre amarela urbana no Brasil desde 1942. A situação epidemiológica será discutida hoje em Brasília entre os secretários estaduais de Saúde e o ministro da Saúde, Ricardo Barros, que deve anunciar medidas estratégicas de combate à doença, em entrevista coletiva, às 10h.

A nota informa ainda que as estratégias de ampliação da vacinação contra a febre amarela em São Paulo vai seguir critérios epidemiológicos, dando prioridade aos corredores ecológicos com intensificação na vacinação como vem ocorrendo desde 2016 a exemplo das medidas tomadas em 2017 nas zonas norte e sul da capital paulista e nas regiões de Alto Tietê, Osasco e Jundiaí.

Por recomendação da Organização Mundial da Saúde, a imunização ocorre com a aplicação de dose única, porém, não é indicada para gestantes, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (portadores de Lúpus, por exemplo).

Guarulhense morre em decorrência da febre amarela

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou neste domingo, 7, que um morador de Guarulhos, um homem de 69 anos, que tinha chácara em Nazaré Paulista, próximo à divisa de Mairiporã, faleceu no último dia 25 de dezembro, em um hospital de São Paulo, em decorrência de febre amarela. O resultado da necropsia foi divulgado neste final de semana.

O homem, morador do Jardim Munhoz, região da Ponte Grande, esteve acompanhado da esposa duas vezes na chácara em Nazaré Paulista, em dezembro. No dia 18 daquele mês, começou a apresentar os primeiros sintomas da doença. No dia 20, foi encaminhado a um médico do convênio, em um serviço no bairro do Tatuapé, em São Paulo, onde permaneceu internado. Um dia depois foi transferido para um hospital particular também na capital, sendo encaminhado à Unidade de Terapia Intensiva, devido ao agravamento de seu estado. Apesar de passar por diversos exames laboratoriais e tratamentos, veio a óbito no dia 25.

Foram solicitados exames para apurar as causas da morte, com suspeita para leptospirose ou febre amarela. Somente nesta sexta-feira, dia 5 de janeiro, a família foi informada do resultado negativo para leptospirose e positivo para febre amarela.

A Secretaria Municipal de Saúde vem mantendo ações diversas para a vacinação da população contra a febre amarela, desde que os primeiros casos de mortes de macacos infectados pela febre amarela, em áreas próximas à Serra da Cantareira, foram confirmados. Neste sábado por orientação da GVE (Grupo de Vigilância Epidemiológica), houve vacinação nas Unidades Básicas de Saúde do Jardim Munhoz, Ponte Grande e Cavadas, além do controle vetorial na área.

A Secretaria Estadual de Saúde também já informou que vai estender a campanha de vacinação para todo o Estado de São Paulo.

Aqui você pode acessar os locais para tomar a vacina contra a febre amarela em Guarulhos.

Veja aqui tudo o que foi publicado sobre febre amarela no Click Guarulhos.