Cheia de referência aos anos 80, Stranger Things se mostra uma das melhores séries dos últimos anos

A Netflix se tornou uma especialista em séries. Suas produções originais tem se mostrado capazes de contar ótimas histórias, com belas interpretações dos atores. Stranger Things, a mais nova série original do serviço, é um caso a parte. Beneficiada pelo lançamento de todos os episódios da temporada de uma só vez, a série se torna viciante logo nos primeiros episódios.

Ambientada nos anos 80, Stranger Things conta a história do misterioso desaparecimento de Will (Noah Schnapp), um garoto na cidade de Hawkins, nos EUA. Após o ocorrido, as pessoas da cidade se mobilizam para encontrá-lo, mas seus melhores amigos, Mike (Finn Wolfhard), Dustin (Gaten Matarzzo) e Lucas (Caleb McLaughlin), desconfiados de que há algo a mais nesse mistério, decidem investigar o desparecimento por conta própria. É aí que somos introduzidos à Onze, a melhor surpresa da série.

De poucas palavras e origem misteriosa, a menina Onze, vivida pela ótima Millie Bobby Brown foge de um laboratório e se encontra com os meninos. Possuindo habilidades telecinéticas, Onze passa a ajudar o grupo na busca por Will. Por sinal, foi muito bom acompanhar a atuação de Brown ao longo dos episódios. Por dar vida à alguém que fala muito pouco, Brown consegue transmitir tudo que a sua personagem pensa ou sente apenas através de seu olhar e de suas expressões faciais. Logo de cara, o telespectador fica muito intrigado e atraído pela personagem.

Aliás, a interação entre o núcleo jovem da série é um tremendo atrativo. É a partir da relação entre os três meninos e a jovem Onze que saem as grandes referências e homenagens que a série faz. Stephen King, Steven Spielberg, Robert Zemeckis são referências claras, enquanto Star Wars, O Hobbit e Senhor dos Anéis são citados o tempo todo pelos garotos.

A ambientação nos anos 70/80 também marca boa presença na série. Figurinos, cenários e a própria trilha sonora de época (regada à The Clash e Joy Division) contrastam muito bem com o tema “moderno” de ficção científica que a série apresenta. Talvez, o único defeito que a série comete é ser algo que já foi visto antes, tanto em filmes como e seriados. Apesar de fazer um trabalho quase perfeito nos quesitos adaptar e ambientar, não pode se dizer que Stranger Things inova totalmente.

Apesar disso, a série criada pelos Irmãos Duffer (Wayward Pines) ganhou um espaço bem especial entre as séries mais queridas do momento. Conseguindo muitos fãs através do boca-a-boca e com uma segunda temporada já garantida, Stranger Things rapidamente se tornou um fenômeno da cultura pop.

Nota: 9,5/10