Sugando até a última gota

Chega a ser engraçado, mas, de certa forma, mais do que isso, imoral, como alguns partidos políticos comportam-se quando se aproxima o período eleitoral.

Na gestão de Jovino Cândido, que sucedera a Néfi Tales, o PCdoB aliou-se ao prefeito e conquistou alguns cargos na Administração. Ficou até os últimos momentos, valendo-se das benesses do poder, para, logo em seguida, bandear-se de mala e cuia para a candidatura de Elói Pietá, que viria a eleger-se prefeito no ano 2000.

Agora, o PSD, que tem Fausto Miguel Martello, como pré-postulante ao Bom Clima, ocupa belo e faceiro a Secretaria de Serviços Públicos, tendo como titular o vereador licenciado Eduardo Soltur.

O PTB, que é governo onde quer que haja governo, continua com o pré-candidato Wagner Freitas (ex-PP) comandando a falida Secretaria de Esportes.

O PDT, que, ao que tudo indica, não resistirá ao bem fornido banquete a ser servido pelo democrata Eli Corrêa Filho, mantém sob seu domínio a Secretaria de Assuntos Legislativo, tendo à frente ninguém menos do que o próprio presidente da legenda, o ex-vereador Armando Gomes de Matos.

Corro o risco de estar sendo injusto ao não citar um ou outro partido que, provavelmente, estará se beneficiando de estar no governo petista de Sebastião Almeida e, daqui a alguns meses, terá palanque próprio ou aliado, posando de oposição e pregando a mudança.

A lógica seria entregar os cargos que detêm, como fez recentemente, o vereador Heleno Metalúrgico (PDT), quando decidiu votar contra o projeto do Regime Jurídico Único do funcionalismo.

Esperar decência e coerência da classe política talvez seja muito inocente de minha parte. Como é ilusório imaginar que os eleitores tenham discernimento para votar levando em conta esse tipo de julgamento. Enfim, vale pelo menos como registro.

 

Valdir Carleto