Tensão na audiência pública do novo aterro da CDR

A população da região do Cabuçu que compareceu à audiência pública para discussão da pretensão do grupo francês Veolia, de ampliar o aterro sanitário CDR Pedreira de São Paulo para Guarulhos, encontrou clima hostil nesta noite no Espaço Internacional Eventos (antiga Philips).

Segundo relatos nas redes sociais, a GCM atuou de forma parcial, contra os populares, até atirando bombas. Rodrigo Baréa e Elson de Souza Moura postaram vídeos ao vivo.

A audiência pública acabou sendo suspensa.

Na opinião de Baréa, o movimento contrário irá crescer, e, ainda que o aterro venha a ser implantado, trazendo lixo de outras cidades para Guarulhos, a população da região não irá aceitar que a compensação ambiental se dê em outras cidades, com mero plantio de árvores.

Desde que se tornou público o interesse do grupo francês, que já administra por meio de uma de suas empresas o aterro de Guarulhos, de expandir para nossa cidade o aterro vizinho, no território paulistano, ficou perceptível que a administração municipal nada fez para tentar evitar e os vereadores em grande maioria silenciaram diante dessa pretensão. Afinal, qual será a vantagem de Guarulhos em receber lixo de outras cidades, em área de proteção ambiental?

Segue link de vídeo do Facebook de Elson de Souza Moura: https://www.facebook.com/elson.desouzamoura.9/videos/1713008572159548/

Link de vídeo postado na página Voz de Guarulhos, do jornalista Rodrigo Sousa: https://www.facebook.com/Vozdeguarulhos/videos/1834380056659103/